Pular para o conteúdo principal

Sociedade da Justiça da América: Os anos 1.980

Depois dos eventos do final da década anterior (aqui), a Sociedade da Justiça da América, a primeira equipe de super-heróis, continuaria sua tradição em encontros anuais com a Liga da Justiça e seria beneficiada pela presença de George Pérez na série mensal da Liga, porém amargaria a punição das baixas vendas: não teria série própria!

Por sinal uma curiosidade: a Sociedade da Justiça, criada em 1.941 só teve série homônima à equipe em 1.991, sendo durante este cinquenta anos publicada em série em All-Star Comics, Adventure Comics, duas antologias, e All-Star Squadron, revista centrada em outra equipe.

Em 1.981, o escritor Roy Thomas abandonou a Marvel e assumiu a responsabilidade de desenvolver um discreto projeto chamado All-Star Squadron (aqui), em geral traduzido no Brasil como Comando Invencível, o nome da equipe principal da revista.

A trama geral era que após a entrada dos EUA na Guerra ao final de 1.941, Roosevelt incentivou a criação de uma equipe para responder diretamente à ele para enfrentar ameaças internas.

Os membros do All-Star Squadron são todos os heróis ativos, ainda que o foco fique em alguns, mais que outros.

Os membros da Sociedade da Justiça participaram em diversas oportunidades das histórias do AS-S e tiveram algumas narrativas próprias, todas passando-se em 1.941-1.942, época em que transcorria a série.

Devemos entender que com o sucesso e aceitação de All-Star Squadron, uma série como The Invaders da Marvel, criada pelo mesmo Roy Thomas, que fazia um processo semelhante de narrativa, a retrocontinuidade, o autor sentiu-se livre para estender um pouco a coisa e criou Jonni Thunder, Infinity, Inc, America vs Justice Society e Young All-Stars.


Enquanto apenas algumas tramas de All-Star Squadron mostravam a primeira equipe dos quadrinhos, sua presença em Corporação Infinito (Infinity, Inc.) era mais constante, já que os membros da equipe juvenil eram herdeiros da SJA. A grande diferença era que, como coadjuvantes de Infinity, Inc. podíamos ver os heróis da Era de Ouro no presente, envelhecidos, casando-se, aposentando-se ou simplesmente tendo problemas para orientar os jovens da Corporação. Esta série e America vs Justice Society são os únicos registros da versão original da SJA nos anos 1.980, ou seja, a equipe da Terra-2 e não a equipe da “Nova Terra” (a Terra unificada que surgiu em Crise nas Infinitas Terras #11).

É necessário explicar que após janeiro de 1.987 com o Universo DC reestruturado a editora parou de contar histórias no seu Multiverso e passou a contar histórias apenas na nova versão de universo que surgiu, chamado como “Nova Terra”. Anos depois esta nomenclatura foi modificado para comportar as modificações de estrutura nos eventos Zero Hora (1994) e Crise Infinita (2006).

A próxima aparição da “verdadeira” SJA – o grupo da Terra-2 e não o grupo da Nova Terra – só aconteceria após a volta do Multiverso. O Multiverso voltou em na série semanal 52 (2005/2006) e a equipe realmente apareceu em Justice Society of America vol 3 Annual #01, na história “Terra-2” (veja aqui).

Roy Thomas, escritor que praticamente construiu as lendas da equipe sozinho nos anos 1.980, foi o responsável pelo contrato original entre a Marvel e os proprietários dos direitos autorais de Conan; responsável por Gerry Conway em Amazing Spider-Man; responsável pelos melhores números das séries The Savage Sword of Conan, Conan, the barbarian, The Avengers (A Guerra Skrull-Kree), X-Men (com Neil Adams), The Invaders, apenas para citar alguns personagens, já que ele trabalhou praticamente com todo o universo Marvel da qual foi editor-chefe e criou The Defenders, criou ao seu próprio modo, todo o universo da Terra-2 da DC Comics e foi mais ousado do que Paul Levitz na década anterior, produzindo algo que mesmo não tendo a Sociedade da Justiça como protagonistas, já que estes seriam o All-Star Squadron e a Infinity, Inc., conseguiu dar uma continuidade e sequência à história da equipe.

As principais tramas de All-Star Squadron com a participação da equipe são:
The World of fire! (aqui) de Justice League of America v1 #193; All-Star Squadron #1-3

Em All-Star Squadron #5 cita-se brevemente que a SJA encerrou as atividades para ingressar nas Forças Armadas. Após o treinamento eles agiriam brevemente como “Batalhão da Justiça”, mas retornariam ao nome padrão.

Death considered as a state of mind! (aqui) de All-Star Squadron #19-20

A Spectre is haunting the multiverse! (aqui) de All-Star Squadron #27-28

Day of the Black Dragon! (aqui) de All-Star Squadron #30

Shanghaid into Hyperspace! (aqui) de All-Star Squadron #50, 52, 55-60

The First Case of Justice Society of America (aqui) de All-Star Squadron #67

E por fim, All-Star Squadron Annual #03 (aqui).

Tivemos também:
a série America vs Sociedade da Justiça (aqui) que se passava no presente;

as aparições nas histórias de seus herdeiros e descendentes que compunham a equipe Corporação Infinito, especialmente no longo primeiro arco “Generations Saga” (Infinity, Inc. #1-10);

a nova origem secreta no mundo pós Crise em Secret Origins #31 (aqui)

e o encerramento da equipe em The Last Days of Justice Society of America (aqui)


Encontros com a Liga da Justiça:
18. Crise em Apokolips (1980)
19. Crise no Limbo (1981)
20. Crise na Terra Primordial (1.982)
21. Crisis in the Thunderbolt Dimension! (1.983)
22. Family Crisis (1.984)
23. A última Crise na Terra-2/A Crise Final (1.985)

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…