Pular para o conteúdo principal

América vs Sociedade da Justiça (1984)

Clark Kent, editor do jornal Estrela Diária, recebe um diário supostamente escrito por Batman que informa que o homem morcego e a equipe de heróis serviam secretamente ao Fuhrer nazista desde a origem da SJA!

O diário vaza para a imprensa e a equipe vai ao Congresso Nacional dar explicações sobre seus atos e por supostamente ter colaborado com a Alemanha nazista.

Minissérie em quatro partes (a primeira é dupla) escrita por Roy Thomas, com desenhos de Rafael Kayanan, Mike Hernandez e Howard Bender, finais de Alfredo Alcala e capas de Jerry Ordway.

Publicada em 1.984 é a penúltima história da equipe no formato padrão. A última seria The Last Days of Justice Society.

Apesar da qualidade, Thomas erra um pouco a mão fazendo uma história verborrágica, na verdade, uma história de tribunal. Na primeira parte com a leitura do diário de Batman temos a origem da equipe, porém controlada ideologicamente por Adolf Hitler. Depois a equipe tenta limpar seu nome e mais narrativas de histórias antigas.

Desde o primeiro momento sabemos que é parte de um plano do filho e herdeiro político do Senador O’Fallon – ridicularizado quando a equipe se recusou a revelar as suas identidades e desapareceu nos anos 1950 – e do vilão Mago (Wizard) para sujar o bom nome da equipe. Além destes, exposto desde o início, havia ainda o vilão viajante do tempo Per Degaton.

A arte final de Alcala é pesada como sempre e contrasta com o tom da história. Lembra, como sempre, algo sujo, escuro. Talvez um Dick Giordano tivesse sido mais adequado. Dos artistas, só Kayanan teve algum renome a posterior trabalhando com o mesmo Roy Thomas em The Savage Sword of Conan já no meio da década de 90. Também seria o artista da série Conan, o aventureiro, com o mesmo autor.

Com a aproximação de Crise nas Infinitas Terras a trama lembra mais uma oportunidade de apresentar aos leitores da década de 1.980 um checklist da equipe incluindo os eventos de All-Star Comics e All-Star Squadron. Lembre-se que a DC fez um extenso Who’s Who em cinco partes com a Legião dos Super-Heróis de modo a narrar toda a cronologia da equipe.

Certamente seria esta a mesma função desta série com a SJA como aponta em parte Thomas no editorial da edição #01.

Com esta visão a série funciona perfeitamente, já que além de narrar novamente quase todas as histórias e principais eventos da equipe, ainda tem uma trama e vilões próprios.

Boa oportunidade para quem, como eu, gosta do conceito da Sociedade da Justiça da América.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!