Pular para o conteúdo principal

Crise Final: Resistência

Outra grata surpresa de Crise Final Edição Especial #03 é o especial Crise Final: Resistência focada em mais um foco de sobreviventes da equação antivida.

Explico: ao final da terceira edição de Crise Final a equação antivida é liberada nos meios de comunicação eletrônicos – TV’s e computadores, em especial – e dominam a população mundial.

Final Crisis: Resist foi publicada nos EUA em dezembro de 2008 e se passa antes e durante a edição #04 de Crise Final. Com roteiro de Greg Rucka & Eric Trautmann e arte de Ryan Sook & Marco Rudy, a edição especial é uma extensão da série Xeque-Mate volume 2, que mostra a tentativa do serviço de inteligência em manter um foco de sobreviventes.

Devemos lembrar que o Xeque-Mate tem sido tratado como uma versão DC Comics da SHIELD na questão de serviço de inteligência, espionagem e contra-espionagem. A primeira versão criada por Paul Kupperberg tinha um foco mais G.I. Joes (Comandos em Ação) sem uma organização específica para enfrentar – os Joes tem a organização Cobra.

A nova versão, criada e mantida por Rucka mantêm a questão dentro do Universo DC, utilizando personagens como Sasha Bordeaux (ligada à fase de Rucka em Batman/Detective Comics/Shadow of the bat), Maxwell Lord (reorganizador da agência, responsável pela ativação do Irmão Olho e dos OMAC’s e muitos evento em Crise Infinita), Amanda Waller (ligada na primeira fase ao Esquadrão Suicida e depois submetida à autoridade do comandante da Força Tarefa X, que após Operação Janus, se tornou uma organização com duas forças de campo o Xeque-Mate e o Esquadrão), Fogo (heroína brasileira na DC, ligada à cronologia da Liga da Justiça – fase cômica mas que foi repaginada para personagem sério e profundo) e finalmente o Sr Incrível (personagem da cronologia da Sociedade da Justiça da América, que iniciou um romance com Sasha durante a nova série Xeque-Mate; neste período, como Wolverine, da Marvel, que aparece em seis séries mensais (!), Incrível aparece em duas – a da agência de espionagem e da equipe de heróis).

Na trama Snapper Carr (mascote da Liga da Justiça na fase inicial da equipe, percebeu que tinha meta-gene em Invasão! e esteve envolvido com Xeque-Mate e Conseqüência de 52: Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse) é o contato externo de um pequeno grupo de funcionário do Xeque-Mate que ainda resistem. São eles: o próprio Carr, Sr Incrível, Bordeaux – em coma induzido – e Taleb Beni Khalid.

Carr tem o poder de se transportar e traz comidas e informações ao abrigo. Ao longo da edição ele encontra com a Mulher-Leopardo e a traz também ao local. Percebendo o cerco que se fecha, Incrível tem a idéia de acionar o vírus OMAC latente em milhões de pessoas para fazer uma frente aos justificadores – a polícia de Darkseid.

Tensa, a edição também funciona muito bem e não necessita de pré-conhecimento para ser apreciada.

Veja aqui outros este e outros especiais ligados à Crise Final:
- Crise Final: A Vingança da Galeria dos Vilões
- Crise Final: O Testamento do Geoforça
- Crise Final: Requiem
- Crise Final: Submissão
- Crise Final: Resistência
- Crise Final: A Legião dos 3 Mundos

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…