Pular para o conteúdo principal

Justice League, The Satellite Years 1976

Em 1.976 a coisa não melhora muito para a Liga da Justiça da América, a principal equipe de heróis da DC Comics. Talvez o motivo seja as histórias com tramas que não ganham credibilidade. De qualquer modo a entrada de Gerry Conway traz de volta a Mulher Maravilha e dá espaço para o Lanterna Verde e o aspecto cósmico da equipe, algo como o único time de combatentes do universo, capaz de fazer seres de outros mundos contactá-los. Ao mesmo tempo as aventuras de cunho social perdem espaço. Ainda estão lá, já bem diluídas no contexto da aventura. Outro ponto positivo é que as aventuras passam a ser narradas em duas ou três partes, trazendo, em geral, tramas mais elaboradas, ainda que exageradas como a aversão ao dinheiro em papel ou alienígenas que observam e aprendem com a humanidade, nem sempre coisas boas.

Mas vamos lá.
O ano começa com Justice League of America #126 (jan/1976) onde temos “The Evil Connection!” de Gerry Conway, Dick Dillin e Frank McLaughlin que dá continuidade à trama da última edição do ano anterior (veja ano anterior aqui). Nesta edição o Armeiro Chefe Kiman resgata Duas Caras da Liga, mas o vilão estranhamente auxilia os heróis ao instalar um dispositivo que sobrecarrega os justiceiros, permitindo-os derrotar os qwardianos. Claro que a Liga percebe que esta sobrecarga põe a Terra em risco com este resultado e se entrega, permitindo sua derrota.

Derrotando os heróis, o circuito entra em curto e param de sugar energias do universo dos dronndarians, encerrando o risco ao nosso universo. Não me empolguei.

Em fevereiro a edição #127 traz The command is “Chaos!” com a mesma equipe de produção. A Liga enfrenta The Anarchist e seus agentes que sequestram alguns delegados das Nações Unidas. Seria uma aventura simples com confrontos em dois momentos e vitória da equipe no final. Mas Conway introduz que o principal antagonista está se alimentando de energias da bateria do Lanterna Verde e sugestionando Hal Jordan a recarregá-la obrigatoriamente a cada 24 horas. O conceito geral poderia ser melhor aproveitado.

De complemento um vilão chamado O Anarquista que tem sonhos de domínio global e a pouco sutil crítica aos primeiros TV preachers, aqui embalada em um mágico com uma fé muito forte e se revela o vilão da trama. Por favor, não peça para aprofundar na questão de como se suga a energia da bateria.

As edições #128-129 trazem “Death-visions of the Justice League!” e “The Earth dies screaming!” uma aventura em duas partes por Martin Pasko, D. Dillin e Frank McLaughlin. Apresenta o retorno da Mulher Maravilha à equipe, logo após a edição #222 da série regular da personagem. Nekron, um vilão alienígena, expõe os membros da LJA aos seus maiores medos e eles decidem desativar a equipe, mas a derrota na mão do vilão, o retorno da heroína e uma ameaça à Midway City, lar do Gavião Negro, leva a aventura para a edição seguinte, onde o Campeão Alado trabalha amarrado no laço de amazona, que impede que seu medo reja seus atos e assim, obedeça a heroína, salvando a cidade que adotou como lar.

A trama é bem rocambolesca e chega a envolver de forma direta um Guardião do Universo e estabelecer um tipo especial de medo (“D-Fear, the terror that men radiate in the face of death”). Em determinado momento Tornado Vermelho se sacrifica ao auxiliar Gavião Negro e Mulher Maravilha, mas evidentemente as tramas de destruição do androide são muitas e esta são se sobressai. Então os heróis enfraquecem Nekron em uma longa batalha e ele, enganado, absorve D-Fear do Superman para se alimentar. Tem uma overdose e entra em colapso, sendo derrotado.

A edição #130 (maio) traz a aventura “Skyjack at 22,300 miles!” com a mesma equipe de produção anterior, que mostra uma ameaça alienígena que se fundiu ao Flash e Gavião Negro quando eles acionam o teletransportador para irem para o satélite. A história serve para explicar a forma como foi construído o Satélite e é um dos “an untold tale from the Justice League of America Casebook” e se passa após o término da construção, chegando a mostrar o Superman mostrando esquemas de distribuição de salas e andares para os companheiros. Na aventura, Gavião narra como construiu o satélite utilizando tecnologia kryptoniana e thanagariana e foi auxiliado pelo Superman e Lanterna Verde.

No geral a aventura é focada no confronto com os híbridos criados pelos heróis fundidos, e por isso lembra um pouco à estrutura do filme A mosca (1986, portanto dez anos depois da publicação desta aventura), que por sua vez era uma releitura de um longa chamado A mosca da cabeça branca, que narrava uma experiência onde o cientista troca sua cabeça com a de uma mosca. Curiosamente a cabeça do dharlu que ocupa o corpo de Flash chama bastante a atenção.

As edições #131-132 trazem “The beasts who thought like men” e “The beasts who fought like men!” novamente com Gerry Conway, D. Dillin e F. McLaughlin, onde uma praga contamina o dinheiro forçando os americanos a passarem a utilizar o dinheiro de plástico (cartão de crédito) que tem secretamente embutido um dispositivo de Sonar (→ Green Lantern #14) que domina os americanos e animais, com o auxílio de Abelha Rainha.

A trama não convence, mas na segunda edição troca as explicações demasiadas por ação, melhorando e incluindo a Supergirl (que levará ao mistério inicial da próxima edição) e confirmando um espaço privilegiado para o Lanterna Verde nas narrativas.

Em agosto a edição #133 traz “Missing-- One man of steel!” com a mesma equipe de produção. Aqui o Superman é levado a um mundo distante, para, junto com um androides com a aparência dos membros da Liga enfrentar a ameaça de Despero (→ Justice League of America #01). Derrotado o homem de aço e seus androides, resta aos alienígenas convocarem a verdadeira Liga na edição seguinte (#134) em “The battle at the Edge of Forever!”, mas uma outra raça (os Krill) sequestra os antagonistas para um jogo cósmico.

Outubro inicia o team-up com a Sociedade da Justiça e que irá até o encerramento do ano. A edição #135 traz Crisis in Eternity!, um cross-over da Liga da Justiça, da Sociedade e do “Shazam's Squadron of Justice” que reúne heróis da Terra-S como Capitão Marvel, Mary Marvel, Capitão Marvel Jr, Bulletgirl, Bulletman, Ibis the invincible, Mr. Scarlet, Pinky e Spy Smasher. Por E. Nelson Bridwell & Martin Pasko, Dick Dillin & Frank McLaughlin. A segunda edição do cross-over traz “Crisis on Earth-S!” e leva a conclusão para a terceira parte na edição #137 com “Crisis in Tomorrow!” Como já resenhei todos os encontros não irei me repetir. Veja aqui a resenha do evento.

The Satellite Years
Ano
Edições
#78-86
#87-95
#96-103
#104-108
#109-114
#115-125
1976
#126-137
















































Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

O único animal, Luís Fernando Veríssimo

O homem é o único animal...
...que ri
...que chora
...que chora de rir
...que passa por outro e finge que não vê
...que fala mais do que papagaio
...que está sempre no cio
...que passa trote
...que passa calote
...que mata a distância
...que manda matar
...que esfola os outros e vende o pêlo
...que alimenta as crias, mas depois cobra com chantagem sentimental
...que faz o que gosta escondido e o que não gosta em público
...que leva meses aprendendo a andar
...que toma aula de canto
...que desafina
...que paga pra voar
...que pensa que é anfíbio e morre afogado
...que pensa que é bípede e tem problema de coluna
...que não tem rabo colorido, mas manda fazer
...que só muda de cor com produtos químicos ou de vergonha
...que tem que comprar antenas
...que bebe, fuma, usa óculos, fica careca, põe o dedo no nariz e gosta de ópera
...que faz boneco inflável de fêmea
...que não suporta o próprio cheiro
...que se veste
...que veste os outros
...que despe os outros
...que só lambe os outros
...que tem cotas de emigração
...qu…