Pular para o conteúdo principal

Crise Infinita (2005/2006)

Iniciada em dezembro de 2005 - cover date – Crise Infinita é uma série mensal em sete partes que foi planejada durante dois anos.

Começou indiretamente nos eventos de Dia de Formatura (um arco de Os Titãs e Justiça Jovem) e foi espalhando-se pelo Universo DC.

Meses antes do lançamento da série a editora decidiu criar quatro séries mensais de seis partes – Dia de Vingança, Guerra Rann-Thanagar, Vilões Unidos e Projeto OMAC – para mostrar o andamento dos planos e como os eventos estavam interconectados e ligados à estrutura editorial da DC.

Estas minisséries foram precedidas por uma excepcional edição especial chamado “Contagem Regressiva para a Crise Infinita, Edição Especial”, que nos EUA custou US $ 0,80.

É nesta edição especial que temos a morte de Besouro Azul II (Ted Kord), um dos fatores marcantes da saga, que iria influenciar a série Projeto OMAC e posteriormente 52 e Gladiador Dourado.

Com texto de Geoff Johns, lápis de Phil Jimenez, George Pérez, Jerry Ordway e Ivan Reis e finais de Andy Lanning, Norm Rapmund/Wayne Faucher e Art Thibert, além de capas múltiplas, parte de George Pérez e parte de Jim Lee, a série não é complicada, apesar de ser “vendida” como tal.

Sobreviventes da Grande Crise (a Crise nas Infinitas Terras), Alexandre Luthor da Terra-3, Superman e Lois Lane da Terra-2 e Superboy da Terra-Primordial, acabam aprisionados em uma dimensão paralela.

Luthor torna-se maligno, por inveja do carinho de Superman e Lois – ela, uma versão de sua mãe da Terra-3, ele, uma versão do maior inimigo de seu pai – e manipula o Superboy-Primordial, que lentamente vai se corrompendo, especialmente ao ver as falhas de caráter dos personagens da DC Comics naquele momento.

Chama a atenção o assassinato que a Mulher Maravilha cometeu, quebrando o pescoço de um vilão, e o fato que foi Batman que construiu e programou o satélite Irmão Olho para espionar heróis e vilões – o homem-morcego se defende explicando que foi uma resposta para os eventos de Crise de Identidade.

Superboy – o clone da Nova Terra, surgido após A morte do Superman e membro da Turma Titã atual – ainda se mostra mais doloroso para Superboy-Primordial, pois ao ver a falha do caráter do adolescente Primordial acredita que ele seria mais digno de merecer a vida dele!

Tudo é feito para ser pessimista, terrível!

Num encontro nos escombros da Torre de Vigilância Superman, Batman e Mulher Maravilha trocam acusações e magoam-se mutualmente. Em seguida são atacados por Mongul.

A Sociedade Secreta dos Super-Vilões chacina os Combatentes da Liberdade – deformando o Detonador.

O Espectro destrói a Pedra da Eternidade, mata o mago Shazam e os pecados capitais libertos, atacam Gotham City.

Os Guardiões do Universo e sua polícia a Tropa dos Lanternas Verdes, juntos com os Omega Men, a L.E.G.I.Ã.O. de Vril Dox, Gavião Negro e Mulher Gavião, Starman (conhecido no Brasil como Zênite, um dos oito Starmen da DC Comics) e Adam Strange tentam controlar os eventos da Guerra Rann-Thanagar.

Agentes OMAC surgem em seres humanos previamente contaminadas e Bludhaven, cidade vizinha à Gotham City, base do Asa Noturna, é destruída pelo monstro Químio.

Diante disto, Superman da Terra-2 também manipulado por Alexandre Luthor rompe a barreira da dimensão que os prendia e decide consertar as coisas.

E isto tudo acontece na edição nº 1!

A partir daí Alexandre Luthor convence o Superman da Terra-2 e o Superboy-Primordial que é possível reconstruir o Multiverso, de modo que eles possam retornar às suas respectivas dimensões – e inclusive Lois da Terra-2 pare de definhar.

Poderosa, uma das anomalias do Multiverso, recorda-se de toda sua vida na Terra-2, anulando as tentativas de reajusta-la na cronologia. Hoje ela é a prima do Superman de outra dimensão, simplesmente.

Os OMAC’s atacam a Ilha da Amazonas em vingança pelo assassinato cometida pela Diana. Incapazes de fazer uma defesa adequada as amazonas abandonam esta dimensão.

Espectro destrói Atlântida e continua sua missão de acabar com a magia no mundo.

Superman da Terra-2 tenta buscar a simpatia do Batman, sem sucesso.

Descobrimos que Alexandre Luthor esteve disfarçado como Lex Luthor em várias ocasiões – inclusive na Sociedade Secreta – e que ele e Superboy-Primordial são os responsáveis pela reprogramação do computador Irmão Olho, do reposicionamento gravitacional de Rann, pela manipulação do Sexteto Secreto e do Espectro – as quatro séries precursoras de Crise Infinita.

As tramas paralelas vão se resolvendo e a DC lança quatro edições especiais para resolver as histórias de cada uma das quatro séries.

A partir do quarto número começam a haver os grandes acontecimentos da série. Superboy-Primordial vai à Smallville e ataca o Superboy. Durante a batalha vários Titãs morrem!

Wally West, o terceiro Flash, junto com sua família e outros velocistas que morreram, se entregam à Força da Aceleração – uma energia de origem desconhecida que dá velocidade a todos os corredores do UDC – para aprisionarem o Superboy.

Apesar de não ser uma morte, diante da tragédia do massacre do Superboy-Primordial a perda temporária de West soa como morte.

Gladiador Dourado descobre que o Escaravelho do Besouro Azul I – e que não foi utilizado pelo Besouro Azul II, seu amigo Ted Kord – agora tem um novo hospedeiro.

Espectro é fundido ao corpo de Chripus Allen – da série GCPD, que havia sido assassinado ironicamente por um personagem homônimo ao mais antigo hospedeiro do Espírito da Vingança de Deus.

Ao final da quarta edição, surge uma nova Terra-2 no horizonte e alguns personagens clássicos, que já existiam naquele universo são transportados para lá.

O planeta está vazio e é palco de uma luta entre os Supermen da Terra-2 e Nova Terra. Mas a interferência das duas Mulheres Maravilha retorna a razão do Superman da Terra-2, que sofre com a perda de sua esposa, que morreu definitivamente.

O Multiverso começa a ser reconstruído por Alexandre Luthor, que tem esperanças de recriar a Terra-3, seu mundo de origem e ao terminar a quinta edição Superboy-Primordial foge da Força de Aceleração – diminuindo a importância do sacrifício de Wally West.

A sexta edição mostra uma série de universos alternativos que só existem nesta edição e em geral são dimensões para reforçar algumas cronologias específicas da DC Comics, como a Terra-898 uma Terra de Faroeste com os personagens de western da editora, uma Terra-97 com os personagens do Universo Tangente (criado em 1.997) ou uma Terra-0 com o personagens do Mundo Bizarro.

Num momento específico Alexandre funde manualmente as Terra-154 e Terra-462! Não entendeu? 154 + 462 = 616, o número da Terra principal do Universo Marvel! É um universo em que as civilizações pré-Colombianas ainda existem e mostra o trio básico com vestimentas maias/astecas.

Há erros como chamar a Terra de Terra-Um. Ela não é! Terra-Um é Terra criada na Era de Prata que terminou em Crise nas Infinitas Terras. A Terra posterior à Crise é geralmente aceita como Nova Terra, mas volto a comentar isto abaixo.

Batman consegue desativar o Irmão Olho. Mas cria-se toda uma tensão de Asa Noturna irá morrer! Desde a edição especial em que Besouro Azul morreu e durante meses não se sabia a identidade do assassinado, chegou a se sugerir fortemente que seria o Asa.

Durante uma longa batalha com muitos feridos e a desativação do sifão energético criado por Alexandre Luthor para restaurar o Multiverso, Superboy sacrifica-se para destruir o equipamento e finalmente tomba!

Numa página que pode significar muita coisa são corrigidas várias inconsistências da editora entre elas:
a) Superman agiu como Superboy na adolescência. Smallville foi reconhecida publicamente como a cidade do menino de aço.
b) Joe Chill foi preso pelo assassinato dos Wayne. Isto diminuiu a mágoa em Bruce e tornou-o mais humano.
c) Mulher Maravilha é membro fundador da Liga da Justiça. Resta saber quem será agora o ele de ligação entre Liga da Justiça e Sociedade da Justiça. Na versão entre 1.986-2.005 foi a Canário Negro, filha da Canário Negro original. Antes que me digam que pode ser a própria Mulher Maravilha pois sua mãe participou da Sociedade da Justiça como Mulher Maravilha é bom lembrar que a Rainha Hipólita, na época em que participou da equipe era uma viajante do tempo de 1.996/97.

Outras modificações foram mostradas em outros momentos e especialmente enquanto o Superboy-Primordial tentava destruir a barreira da dimensão que os aprisionava. Entre essas, temos a morte de Jason Todd, que não morreu, Hal Jordan jamais foi preso por dirigir bêbado e o realinhamento da Patrulha do Destino.

Surge na série uma nova Terra que é construída com todas estas mudanças – e outras que seriam mostradas depois. Esta dimensão chama-se “Nova Terra”. Entende-se então que a Terra que existiu entre 1986-2006, chamada em muitos momentos de Terra-Um sofreu correções e agora é uma nova dimensão. E a Terra-1 é a Terra clássica do período da Era de Prata, existindo entre 1.955-1.985.

Na sétima e última edição a história começa com uma grande batalha de heróis e vilões em Metropolis com muitas baixas. Apesar de ser vilão, Adão Negro, vingando-se da manipulação de Alexandre Luthor luta na fileira dos heróis, porém matando!

Durante a batalha surge um novo Flash – o quarto da cronologia da DC Comics – agora com Bartholomeu “Bart” Allen ocupando o uniforme. Bart é neto de Barry Allen, o segundo e mais famoso Flash, morto em Crise nas Infinitas Terras. É, de certo modo, tópico básico que um velocista tenha que sofrer durante as macro-crises da editora.

Alexandre Luthor fere mortalmente Asa Noturna. Batman está pronto para matá-lo mas Mulher Maravilha o impede e quebra sua espada, simbolicamente demonstrando que a violência não é a solução. Batman desiste e o vilão desaparece nos escombros.

Fugindo da Terra, Superboy-Primordial enfrenta a Tropa dos Lanternas Verdes e os Supermen (da Nova Terra e da Terra-2). Ao atravessar o sol vermelho de Krypton, os três Supermen de três dimensões caem em Mogo (o planeta-Lanterna Verde) e lutam bravamente.

Superboy é derrotado, mas Superman da Terra-2 falece e o Superman da Nova Terra está muito ferido. O adolescente vai para uma prisão em Oa.

Diálogos quando o Superman morre sugerem que o Multiverso foi reconstruído – algo que, na época, a editora negava.

Luthor e Coringa matam Alexandre Luthor. Lex usaria o cadáver em manobras legais para provar que não havia sido ele o responsável por algumas ações – por sinal linha de raciocínio já utilizada antes quando ele destruiu o centro de Metropolis em Action Comics # 700.

Na conclusão temos a amizade entre Mulher Maravilha, Superman e Batman restaurada!

Os três decidem rever as prioridades e deixam de agir como heróis durante um ano (a maxi-série semanal “52”).

Superman está sem poderes, Mulher Maravilha cria uma identidade civil e Batman irá passar por um novo treinamento.

O Universo DC salta um ano em sua cronologia e no mês seguinte as principais séries começam eventos chamados “Um Ano Depois” de modo a ressaltarem o salto cronológico!

Ao final a grande crítica foi a seguinte. Todos acharam que a DC iria reconstruir o Multiverso, mas que voltou atrás no último momento, fazendo uma solução meia boca. O Multiverso não havia sido reconstruído, mas havia surgido uma Nova Terra com alterações cronológicas importantes.

Porém, como se isto não fosse o suficiente, no encadernado da série a DC Comics alterou diálogos para deixar uma dúvida no ar e também alterou artes, incluindo páginas de George Pérez (a Panini Comics baseou sua minissérie no encadernado – mas deixou escapar um erro na capa da sétima edição).

Não pode-se considerar um trabalho menor de Geoff Johns apenas por causa destes erros. Temos que entender que há toda uma política editorial que interfere nos resultados de uma série como esta. É uma boa história sobre como falhas de caráter podem trazer resultados imprevisíveis. Não pode ser comparada à Crise nas Infinitas Terras, mas é um produto típico do período em que vivemos.

De qualquer modo em “52” o Multiverso retorna definitivamente.

Veja aqui a listagem de todas as Crises da DC Comics.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!