Pular para o conteúdo principal

A Saga do Quarto Mundo: Novos Deuses, volume 1 e 2


Ponto central a Saga do Quarto Mundo em New Gods (Novos Deuses em português) temos as aventuras de Orion sozinho ou auxiliado por Magtron e humanos. A parceria entre um deus e humanos seria evocada novamente em Os Eternos (1.976-78) do mesmo Jack Kirby. Em ambas as séries, após a parceria inicial os humanos seriam abandonados.

Aqui a macro-trama é que na Terra o deus maligno Darkseid tem pistas de uma fórmula chamada equação anti-vida ao qual deseja com objetivos próprios. Orion, filho de Darkseid mas criado pelo benigno Pai Celestial, é o nêmese de seu pai e está destinado a matá-lo.

Além de New Gods a Saga do Quarto Mundo foi publicada nos primeiros volumes das séries Mr Miracle (Senhor Milagre), Forever People (Povo da Eternidade) e Superman Pal's Jimmy Olsen (a única que não foi criação original de Kirby).

Originalmente New Gods foi publicada em série bimestral com onze números (março de 1972- novembro de 1972).

Em 1984 a DC Comics re-editou a série original em The New Gods, minissérie de 6 volumes, publicando duas aventuras por edição, e na sexta publicou uma aventura inédita de Jack Kirby, que encaminharia a trama para a graphic novel The Hunger Dogs.

Este segundo volume foi publicado no Brasil pela Opera Graphica. Hunger Dogs ainda está inédito no Brasil.

Após o final de uma era de deuses, surgem Novos Deuses que são divididos entre Nova Gêneses, os bons, e Apokolips, os maus. Às vezes o texto refere-se a este panteão como O Quarto Mundo.

O guerreiro Orion, através do Pai Celestial (líder do panteão de deuses bons) recebe da Fonte a missão de vir à Terra, após passar por Apokolips onde enfrenta parademônios e Kalibak, filho do maligno Darkseid senhor de Apokolips.

Com o auxílio de Metron, um novo deus ardiloso que preza o conhecimento acima de tudo, Orion liberta quatro terráqueos que Darkseid mantinha prisioneiros para conseguir a chave para a equação anti-vida.

Na segunda edição, Orion encontra Darkseid no apartamento dos terráqueos e enfrenta Brola, servo do lorde, derrotando-o. Darkseid autoriza seu cientista, Desaad a ativar o estimulador sônico sobre a população, deixando os humanos em pânico, até que Orion destrói o aparelho.

O terceiro número mostra Lightray, amigo de Órion e algo que equivalente a deus da velocidade, luz e beleza, foge do Corredor Negro, que é a essência da morte deste panteão de deuses.

Na Terra o Corredor funde-se ao Sargento Willie Walker, um policial que está com os movimentos paralisados.

O Corredor ataca o Sugar-Man, que tem ligações com a Intergangue, uma gangue de criminosos que trabalha com tecnologia de Apokolips e que Orion estava investigando.

Ao recorrer o cadáver de Seagrin para a polícia local, Orion dá a ele um enterro bastante semelhante aos rituais vikings.

Ao investigar com seus colaboradores, Orion destrói aparelhos de destruição em massa fornecidos para a Terra.

Orion parte para o confronto com os Deep Six – seis monstros de Apokolips que vivem na água. Enquanto isso somos apresentados ao Sargento Turpin que investigará aos acontecimentos estranhos na cidade envolvendo super-seres.

Uma das mutações do Deep Six ataca a cidade, e cabe a Orion e Lightray detê-la. Junto com o Pacto (edição #07) esta é a melhor história da série para mim.

A história entrava em sua metade e depois de estabelecida as ligações humanas para a série, Kirby retorna para narrar as origens do conflito entre as raças. O Pacto conta as origens da guerra entre Nova Gênese e Apokolips e parte das maquinações de Darkseid para chegar ao poder, assim como a troca de crianças que resultou na paz.

Darkseid entrega seu filho Orion para o Pai Celestial, e este entrega Scott Free, o futuro Sr. Milagre, para Darkseid e sua Vovô Bondade.

Uma das melhores histórias da saga.

Em Jack Kirby’s Fourth World, John Byrne acrescentou vários detalhes interessantes deste período.

A edição oito investe no lugar comum de um conflito entre deuses e humanos. Kalibak chega na Terra causando destruição e enfrenta Orion, Ligthray e o Detetive Turpin – este último no mano-a-mano o que motiva a chamada da capa.

Os insetos
Kirby introduz um conceito interessante nesta aventura: em Nova Gênese insetos sapientes roubam alimentos dos novos deuses – e eles os tratam como praga, eliminando-os com inseticidas.

Apesar de importantes no plano geral, Kirby não explorou a fundo todo o potencial e por ques desta nova comunidade.

O grande feito é que Mantis de Apokolips usurpa o poder do líder da colônia de insetos para auxiliar na guerra entre deuses, enquanto o Forageiro (um novo deus criado por insetos) consegue ir para a Terra para fazer contato com Orion.

Quando do ataque de Mantis à Terra usando o povo inseto logo temos os três novos deuses (Orion, Lightray e Forageiro) enfrentando-os.

Lightray usa a inteligência e junto com cientistas modifica uma arma de ondas sônicas que os afugenta.

A conclusão
Na 11ª edição, Kalibak foge e enfrenta Lightray e Orion em um duelo de morte. Ou seja dezenas de páginas de luta típicas de Kirby.

Desconfiando da súbita força de Kalibak, Darkseid que assiste a luta e descobre que Desaad estava fortalecendo o seu filho. Decide então matar o cientista.

O Corredor Negro leva Kalibak, quando este é derrotado por Orion.

Este é o fim original da saga, deixando-a inconclusa.

Há arte e textos completos da 12ª história, inéditos. A 12ª história apresentada em New Gods volume 2 #06 não é a mesma história.

Na 12ª história publicada em 1.984, Orion invade Armagetto e cria a semente da revolta contra os líderes.

Darkseid ressuscita alguns mortos (Desaad, Kalibak, Mantis), mas eles retornam sem a essência da alma.

A perseguição de Orion à Darkseid atravessa a história, até o momento final onde o herói é morto à traição por soldados do senhor de Apokolips.

Textos, idéias e criação de Jack Kirby com finais de Vince Colletta, D. Bruce Berry e Mike Royer.

















Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!