Pular para o conteúdo principal

Sociedade da Justiça da América, volume 3: A nova geração


E houve a Crise Infinita.

E durante um ano os principais heróis da editora DC Comics estiveram ausentes!

E então começou o processo de relançamento de séries e personagens. Com isso começou o terceiro volume de Justice Society of America, o quê nos cabe ao menos um esclarecimento. O volume 1 foi uma minissérie publicada no no início dos anos 1.990, que se passava no fim dos anos 1.950 (aqui). O volume 2 foi uma série mensal de curta duração, publicada antes de Zero Hora, famosa por ter a arte de Mike Parobeck. Já a série imediatamente anterior não se chamava Justice Society of America e sim JSA, emulando o JLA da série da Liga da Justiça de Grant Morrison

Cabe lembrar que além da série principal a equipe tinha uma série “auxiliar” chamada JSA Classified com arcos de história solo dos membros.

Começa aqui uma excelente trama que se estenderia durante o fim daquilo que chamo de “Era Geoff Johns na Sociedade da Justiça” que termina na edição #26 desta série, tendo ainda um epílogo por Jerry Ordway nas edições #27-28. Todas estas edições, mais um anual e três edições especiais compõem uma grande trama, dividida em partes.

Durante esta fase a Sociedade da Justiça na figura de seus três membros fundadores (Flash, Lanterna Verde e Pantera) irá funcionar como um centro de treinamento para novos heróis, porém não com uma visão militar, mas sim como uma grande família. Este é o tom da série: uma grande família de heróis, passando para a próxima geração os valores que norteiam a equipe e que supostamente deveriam nortear todos os heróis.

Publicada pela Panini Comics em Universo DC #8-11 (janeiro a abril de 2.008) e nos EUA em Justice Society of America v3 #1-4 (fevereiro a maio de 2.007) o arco A nova geração mostra Vandal Savage contratando assassinos para exterminar as famílias dos membros secundários da Sociedade, enquanto ele próprio exterminaria os familiares dos membros principais. O objetivo do vilão imortal era, com a morte dos sucessores, impedir que novas gerações de heróis surjam.

Escrito por Geoff Johns, com um elegante traço de Dale Eaglesham, e finais de Art Thibert a trama começa com o assassínio da família de Mr. América (Trey Thompson), passa pela seleção de novos membros para a nova encarnação da equipe (Sr. Incrível em meio período, Poderosa, Liberty Belle, Homem-Hora, Stargirl, Dr Meia-Noite, Starman, Detonador), a formação da amizade do casal Homem-Hora & Liberty Belle com o Detonador – os três herdeiros diretos de heróis da Era de Ouro; o contato com Maxine Hunkel (a Tempestade) neta da Ma Hunkel – a Tornado Vermelho original; a descoberta do delicado estado mental do Starman – ele é esquizofrênico grave – e não demora muito para percebermos que ele é o Starman da Legião dos Super-Heróis e que ele tem lembranças do evento “O reino do Amanhã” (aqui).

Após Thompson cair pela claraboia do prédio da equipe, descobre-se um plano para a eliminação dos familiares quando a equipe de vilões nazista chamada Quarto Reich ataca o encontro anual da família Heywood. Nathan é o atual herói Heywood, depois do Comandante Gládio (herói inserido em retro-continuidade na Era de Ouro, criado por Len Wein nos anos 1.970, basicamente um soldado que tem o esqueleto revestido com um metal indestrutível, exatamente como outro personagem também criado por Wein) e Gládio (herói que pertenceu à formação da Liga da Justiça que chamamos de “Liga de Detroit”, foi danificado irreparavelmente durante o evento Lendas e morto definitivamente anos depois). Porém Natham está em desgraça pessoal depois que uma infecção o obrigou a cortar a perna – ele era o herói pelo sucesso no esporte.

Durante o ataque do Quarto Reich, que elimina grande parte da família Heywood, Nathan fere um vilão que tem a pele revestida pelo mesmo metal que cobria os ossos do avô. Por algum motivo o metal é absorvido pela pele do neto do Comandante Gládio, que fica desacordado. Antes do final do arco, ainda desacordado, Nathan já tem uma perna reestruturada, sugerindo um novo herói – que já havia aparecido na capa da edição #1.


A grande surpresa fica com a existência do filho do Pantera! Havia uma longa trama sobre um filho do herói boxeador na série JSA. Geoff Johns preferiu por a pá de cal na história e criar Tom Bronson, resultado de um encontro de uma noite só de Ted Grant. Tom tem bom humor e sabia do identidade do pai há anos, nunca tendo vontade para revelar-se. A mãe jamais comentou a gravidez e o nascimento do bebê para Ted e Tom reconhecesse que ele nunca teve culpa desta ausência.

É a Tom que Vandal Savage resolve atacar, quando o Pantera já acreditava que não tinha nenhum vínculo real com o filho, que já tinha feito esforço para se apresentar como um covarde em relação à lutas físicas. Mas com a chegada do vilão o garoto revela-se um licantropo, transformando num “homem-pantera” e com a ajuda do pai e do corpo de bombeiros consegue derrotar o vilão.

Desde o primeiro momento da série o Gavião Negro (que dificulta o ataque do Quarto Reich à família Heywood) é mostrado como um personagem violento, extremista, irascível, nervoso. Em parte se deve ao fato que esteve envolvido numa Guerra Santa em Thanagar, dando continuidade à Guerra Rann-Thanagar, teve um rápido envolvimento com a Poderosa e a atual Moça-Gavião está na Liga da Justiça, namorando o Arqueiro Vermelho.

Ele, o Gavião, é o contraponto às personalidades amigáveis do trio Flash, Lanterna e Pantera; mas logo no decorrer da série terá esta função (de ser o personagem mais violento e militarista) é remetida para outro personagem.

Com o final da trama cai por terra a teoria de Savage, que eliminando os descendentes ele eliminaria a próxima geração de heróis, já que existem heróis que dão continuidade a uma lenda sem serem descendentes diretos.

Páginas com arte de Alex Ross – responsável pelas capas pintadas de toda esta fase e co-roteiros num momento à frente - deixam claro que a série terá relação com “O reino do amanhã”.

Um grande momento da equipe e um arco que dá gosto de se ler e reler.

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

O único animal, Luís Fernando Veríssimo

O homem é o único animal...
...que ri
...que chora
...que chora de rir
...que passa por outro e finge que não vê
...que fala mais do que papagaio
...que está sempre no cio
...que passa trote
...que passa calote
...que mata a distância
...que manda matar
...que esfola os outros e vende o pêlo
...que alimenta as crias, mas depois cobra com chantagem sentimental
...que faz o que gosta escondido e o que não gosta em público
...que leva meses aprendendo a andar
...que toma aula de canto
...que desafina
...que paga pra voar
...que pensa que é anfíbio e morre afogado
...que pensa que é bípede e tem problema de coluna
...que não tem rabo colorido, mas manda fazer
...que só muda de cor com produtos químicos ou de vergonha
...que tem que comprar antenas
...que bebe, fuma, usa óculos, fica careca, põe o dedo no nariz e gosta de ópera
...que faz boneco inflável de fêmea
...que não suporta o próprio cheiro
...que se veste
...que veste os outros
...que despe os outros
...que só lambe os outros
...que tem cotas de emigração
...qu…