Pular para o conteúdo principal

#LSH Reboot, 1994-95: The beginning of tomorrow!

[The beginning of tomorrow!]
Legion of Super-Heroes #0 (out/94) traz a aventura Time and Chance de Mark Waid & Tom McCraw com arte de Stuart Immonen e Ron Boyd, que reinicia toda a história da Legião dos Super-Heróis.

A primeira sequência mostra um sonho de Garth Ranzz sobre o acidente que deu os poderes para ele. Não é mostrado que seu irmão e sua irmã teriam ganho poderes, mas fica implícito, especialmente pelo conhecimento da história da equipe.

Em seguida conhecemos o Campeão de Magnoball Cosmic Games – daí o apelido Cosmic BoyRokk Krinn, que não desconfia que seu empresário, Mr. Cuspin, tem dívidas e gastou toda a sua fortuna. O terceiro fundador é Imra Ardeen, contratada pela Polícia Científica para ler mentes de criminosos.

Os três jovens viajam para a Terra em um voo onde segue também o terceiro ser mais rico do cosmo, René J “RJ” Brande, que enriqueceu explorando a tecnologia de buracos de minhoca – stargates, na terminologia da série.

Assim que desembarcam na Terra, o trio impede que Brande seja assassinado por criminosos contratados por Roderick Doyle. O milionário vê uma oportunidade e decide vender a ideia à Presidente dos Planetas Unidos, uma espécie de equivalente da ONU a nível cósmico. Brande pensa em formar uma organização composta de jovens de vários mundos para simbolizar a verdadeira união entre estes planetas.

A Presidente aprova e Brande envia sua secretária particular, Luornu Durgo para contatar o trio. Quando o trio de salvadores se encontram com Imra, que capta pensamentos muito superficiais, percebe que o preconceituoso e arrogante Mr Cuspin faliu o Cosmic Boy e decide revelar o acontecimento para Rokk, que o demite imediatamente.

Brande apresenta sua ideia para os jovens que aceitam ingressar na Legião dos Super-Heróis.

A apresentação pública e os primeiros convites terão espaço em Legionnaires #0 (out/1994) na história Close Encounters (Mark Waid/Tom McCraw, Jeffrey Moy, Ron Boyd) onde um novo atentado, desta vez na conferência dos Planetas Unidos em que Brande apresenta a ideia da LSH, consegue o efeito inverso. Os embaixadores não aprovam a ideia de imediato, mas devido aos salvamentos realizados por Rokk, Imra, Garth, Luornu e mesmo a filha da Embaixadora da Terra, Tinya Wazzo, a ideia é aprovada pela assembleia.

A Presidente dos Planetas Unidos, no entanto, prega um estilo mais militar e que seja submisso à Polícia Científica, organização, que deste o início, critica a missão e existência da Legião. Na verdade, a Presidente Chu, quer uma organização que ele controle e não o Brande.

Assim inicia um processo de extensão de convites. São convidados o policial marciano Gim Allon, o jovem de Xanthu Kid Quantum, a velocista em estudo nos laboratórios da Polícia Científica, Jenni Ognats, um durlaniano e dois cientistas, um humano Lyle Norg e outro coluano com inteligência de 12 ª potência, Querl Dox.

A primeira e fatal missão da equipe vem Legion of Super-Heroes v4 #62 (nov/94) em Forced friends, deadly consequences! de Waid/McCraw e arte de Lee Moder e Ron Boyd. Sob o comando de Leviathan a Legião é enviada para agir em um caso de pirataria de naves e encontra uma criatura chamada Tangleweb, que aprisiona os tripulantes em uma gosma, muito semelhante à teia de aranha – visualmente Tangleweb, lembra uma aranha com enxertos científicos. Como na verdade, a liderança foi imposta pela Presidente, Leviathan que não tem inclinação natural para o posto de líder, não consegue assumir a liderança da equipe e Cosmic Boy surge como líder natural, mas não a tempo de salvar o orgulhoso Kid Quantum, que tem seu pescoço quebrado pelo alienígena.

Na confusão que se segue Tangleweb consegue fugir. Envergonhado Leviathan possa o cargo para Cosmic Boy.












Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…