Pular para o conteúdo principal

Game of Thrones [3x02] – Dark wings, dark words

O segundo episódio da terceira temporada da série de TV Game of Thrones foi ao ar em 07 de abril de 2.013, em uma semana que já havia sido anunciado a renovação da série para uma quarta temporada. O anúncio, assim como a estreia da terceira temporada ficaram um pouco apagados em função do final de terceira temporada de The Walking Dead do canal AMC, novamente um recorde de audiência. Enquanto a audiência da série de zumbis quebra recordes a cada início ou fim de temporada, alcançando 12.4 milhões no último season finale, Game of Thrones está com média de 4 a 5 milhões.

Apesar destes números, não devemos entender que a audiência de Game of Thrones está baixa. Ela é condizente com os números de TV por assinatura nos EUA. Os números da audiência de The Walking Dead é que são superlativos.

[O episódio]
O episódio segue aquele padrão de cortes de diversos personagens com duração de três ou quatro minutos. Em Porto Real, Rei Joffrey Baratheon se interessa por Margaery e cria-se condições de perguntar como foi seu envolvimento físico com Renly Baratheon. A avó da agora pretendente a rainha, pressiona Sansa Stark para conseguir algumas informações sobre as verdades das histórias que contam sobre o menino rei. Nos livros desde o primeiro momento Sansa tem claras ambições de casar-se com Loras, irmão de Margaery, aqui, até este momento isto não é explorado.

Brienne de Tarth, a donzela gigantesca, continua férrea em sua promessa de levar Jaime Lannister para Porto Real e resgatar as filhas de Catelyn Stark, Sansa e Arya. Mas a terrível jornada desta dupla só está no início e de imediato são capturados pelo filho de Rose Bolton.

Arya e seus colegas são resgatados por uma companhia de homens livres, a Brotherhood Without Banners, liderada por Thoros de Myr, que simpatizam com aquelas crianças armadas e famintas, mas a situação talvez mude quando o Cão – em fuga desde a Batalha de Blackwater – é capturado e reconhece a menina Stark.

Robb Stark é informado da morte do avô e do incêndio em Winterfell. Estranhamente o foco fica em um diálogo em que diz que não encontraram Bran e Rickon, cujos corpos supostamente já tinham sido queimados e exibidos na segunda temporada por Theon Greyjoy – que passa a ser torturado por homens que o capturaram em Winterfell no fim da temporada anterior. Robb então decide voltar para Correrio para o enterro, apesar das críticas abertas de Karstark. Ele critica a fuga de Jaime facilitada por Catelyn, mãe de Robb, e o casamento do rei do norte com Talysa, quebrando um pacto.

Finalmente os irmãos Jojen e Meera Reed entram na trama e encontram Bran, Rickon, Hodor e Osha, além dos lobos gigantes Verão e Felpudo. Nos livros eles vão a Winterfell no segundo volume e auxiliam na fuga, continuando com Bran até o atual volume – o quinto. A existência deles reforça o discurso de que Bran é um warg (um troca peles na terminologia da série) e permitirá mais espaço na trama de aprendizagem do jovem Stark e dos contatos com o Corvo de Três Olhos. Na minha opinião é uma trama que funciona bem nos livros, mas visualmente tenho minhas dúvidas, afinal a trupe quase não é ameaçada diretamente. Em pouco tempo por sinal, deverá se separar em algum momento, quando Osha, Rickon e Felpudo seguirão por outra estrada para além da Muralha. De resto é muita estrada e muita viagem, que só terá alguma ação real quando o menino auxiliar Sam Tarly bem no futuro e finalmente atravessar a Muralha e encontrar o Corvo de 3 Olhos.

Como nos livros não há dúvida sobre a morte dos garotos, nunca houve nenhuma busca por eles.

Na Muralha, Sam é tratado como um estorvo pelos companheiros corvos e Jon Snow passa a andar pelo acampamento de Ryder, descobrindo que entre eles há um warg, que relata o ataque à Patrulha da Noite.

Concluindo as tramas, Tyrion Lannister descobre que Mindinho tem interesse por Sansa Stark, mas é incapaz de ir além do óbvio. Mindinho ainda está em ascensão por ter costurado o acordo com a Casa Tyrell, que garantiu a vitória na Batalha de Blackwater. Nos livros fica muito claro que Baelish é de uma nobreza muito baixa para ambicionar o Trono de Ferro. Então como Mindinho pretende chegar ao poder?

[Opinião]
O episódio é muito interessante e nele se estabelece narrativas com não existem nos livros, como a aproximação entre Joffrey e Margaery e a tortura de Greyjoy. Explico: nos livros as tramas são contadas por personagens narradores, que vão de seis a oito a cada volume. Se algum evento ocorrer e não houve um personagem narrador próximo, descobrimos o evento pela narrativa verdadeira ou falsa dele feita a um personagem narrador por um personagem não narrador.

Note que a série de TV aproxima-se do uso deste recurso em pelo menos dois momentos: 1) quando Robb Stark derrota Jaime Lannister próximo do fim da primeira temporada a batalha não é mostrada, assim como nos livros, pois Robb não é personagem narrador e Jaime, naquele momento também não era; 2) A batalha entre a Patrulha da Noite e os seres místicos que ocorre no Punho dos Primeiro Homens e que abre a terceira temporada também não é mostrada, pelo mesmo motivo.

De resto acredito que falte aos produtores reforçarem que o tempo está passando e que desde o primeiro momento da série dois anos completos já transcorreram e que está iniciando o terceiro ano. Enquanto faz bem ver Sansa Stark tornar-se moça – algo explorado na temporada anterior, e só percebemos que Arya envelheceu quando comparamos fotos, fica evidente de o ator que faz Bran cresceu e muito. O público da série de TV porém tem uma ilusão que os acontecimentos ocorreram de uma forma mais rápida do que de fato. Nada que impeça de apreciar a série.


















































Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!