Pular para o conteúdo principal

Review: A morte da luz, George R R Martin

A morte da luz (Leya, 2012, ISBN 978-85-8044-492-6) é o primeiro romance de George R R Martin, publicado em 1977.

Martin ficou conhecido recentemente no Brasil em função de As Crônicas de Gelo & Fogo, que inspiraram a série de TV Game of Thrones, mas começou como escritor de ficção científica (sci-fi).

Neste livro temos uma complexa trama envolvendo significados de palavras, honra, família, dever, posse e um cenário ficcional vívido: um planetoide que se afasta da órbita de sua estrela mãe e está cada dia mais escuro, frio, próximo da morte – daí o título do livro.

Na trama Dirk t'Larien vai à Worlorn para encontra com Gwen Delvano, um antigo amor, acreditando ser possível reconquistá-la, mas a encontra envolvida num triângulo com pessoas de uma cultura distinta que a torna submissa. O desejo de liberdade de Gwen, põe t'Larien em risco quando ele acha ser possível romper facilmente com os códigos morais daquela sociedade.

O romance é bem escrito e fica evidente o gosto de Martin por um cenário grandioso, junção de palavras e um código de valores que se sobressai por ser estranho à nossa própria cultura.

É um bom romance saboroso e o estranho é que George R R Martin não tenha retornado até hoje ao mesmo universo ficcional.

Vale a leitura, mas advirto que leitores de fantasia medieval podem não se impressionar com a trama.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!