Pular para o conteúdo principal

E este não é o Lanterna Verde gay!

Diante do interesse gerado pela sexualidade do Lanterna Verde, chega às bancas Lanterna Verde #01 (Panini Comics, junho-2012, 68 págs., R$ 5,90) que se propõe a reapresentar os Lanternas e seu universo ficcional diante da proposta de relançamento da DC Comics, chamado de Os Novos 52.

A edição não é ruim, mas a história principal de Green Lantern #01 (Geoff Johns, Doug Mahnke, Christian Alamy & Tom Nguyen), não cumpre a meta de reapresentar os personagens. Talvez o objetivo tenha sido fazer com que o mistério gerado por quem é e o que fez Sinestro levasse o público para os cinemas e locadoras para assistir o filme Green Lantern, grande fracasso da Warner no ano passado.

Pela história não se sabe nada sobre a origem dos personagens.

Este é o Lanterna Verde gay!
A edição é completada com Green Lantern Corps #1 e Green Lantern: New Guardians #1. Na primeira por Peter Tomasi, Fernando Pasarin e Scott Hanna temos o foco em John Stewart e Guy Gardner, dois outros Lanternas Verdes da Terra, com alguma explicação sobre o passado deles, mas nada muito profundo. Sabe-se que uma ameaça surgiu no espaço e os dois Lanternas, deslocados na Terra iram enfrentá-la, junto com outros membros da Tropa. Nada de novo no front!

Já New Guardians (Tony Bedard, Tyler Kirkham e Batt) se preocupa em reapresentar Kyle Rayner (veja Crepúsculo Esmeralda) mas se esquece de explicar a existência de uma tropa para cada tom do arco-íris. Cria uma certa tensão em exibir a atenção dos anéis para o Lanterna Verde, mas deixa a desejar.

Infelizmente não cumpre a missão de reapresentar os personagens, coisa que deveria ser a exigência fundamental do evento. Resumindo: não é para neófitos!

E este não é o Lanterna Verde gay!

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!