Pular para o conteúdo principal

Os Novos 52: O cavaleiro das trevas retorna... de novo!

O resumo até o momento é o seguinte: Liga da Justiça reapresentou a equipe e Lanterna Verde, não!

Batman #01 (Panini Comics, R$ 6,50, 76 páginas) também vai para o caminho do Lanterna: não se preocupa em realmente apresentar os personagens.

Aqui talvez a questão seja que Batman é tão conhecido que dispensa apresentações. Mas o público geral não sabe quem é Richard Grayson, Tim Drake e Damian Wayne, os três filhos de Bruce Wayne, sendo apenas o último filho biológico. Por sinal, de onde tiraram que Dick é do tamanho de Tim?

A trama de Batman #01 de Scott Snyder, Greg Capullo e Jonathan Glapion, mostra ação, tecnologia, propósito do personagem Bruce Wayne, mas termina com um suspeito de assassinato impossível, já que é um dos colaboradores do homem-morcego. Bobagem desnecessária!

Mas de longe a melhor história da edição.

Depois Detective Comics#01 (Tony Daniel e Ryann Winn) explora o homem-morcego em uma posição semelhante à de Liga da Justiça #01, ou seja, perseguida pela polícia de Gotham City e tenta chocar o leitor com um novo vilão ultra violento. Consegue! Fiquei impressionado com o ato de violência... mas não com a história!
A edição termina com Batman: The dark knight #01 de Paul Jenkins e David Finch, onde Jenkins tenta dar um rumo para a trama de Finch, mas há um limite. Uma mulher fatal (lembra do início da fase de Grant Morrison?), uma fuga em massa do Arkham (lembra do início de A queda do morcego ou dos Novos Vingadores – Motim, desenhado pelo mesmo Finch?) e a edição terminando com o reposicionário temporário de um vilão.

No fim, o quê sobra é o novo uniforme de Batman, muito semelhante a uma armadura e bem distante do tecido sobre pele do passado.

Não é perfeita, mas cria expectativa para a edição seguinte.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!