Pular para o conteúdo principal

DC faz reboot... novamente!, Parte 1: O passado é prólogo

A DC Comics é uma editora de quadrinhos, sediada nos EUA e desde os anos 1.970 pertence ao conglomerado Warner Bros, que hoje é parte da AOL-Time-Warner.

Ano passado a DC completou 75 anos de história e seus personagens são bastante conhecidos. Entre eles estão Superman, Batman & Robin, Mulher Maravilha, Lanterna Verde, Liga da Justiça, Turma titã/Novos Titãs e Aquaman.


Como seus personagens originalmente foram criados em 1.938/1.941 sempre houve vários processos para adaptá-los há um novo contexto. Na década de 1.950, conhecida como Era de Prata a DC relançou seus heróis, exceto aqueles que nunca tiveram seus títulos cancelados como Superman, Batman e Mulher Maravilha, e deu novas origens para eles. Flash, Gavião Negro, Lanterna Verde e Átomo eram bem distintos de suas versões originais.

Anos mais tarde uma história introduziu o conceito de que o universo criado em 38/41 seria a Terra 2 e o universo criado em 50 seria a Terra 1. Com o sucesso da fórmula, vários universos alternativos vieram em sequência.

Para enfrentar as maiores ameaças às Terras 1 e 2 eram convocadas as maiores equipes, a Liga da Justiça e Sociedade da Justiça, respectivamente. Estes eventos ou encontros anuais, geralmente publicados no verão norte-americano, tinham vários títulos, mas ficaram conhecidos como “Crises”.

Em 1.985 numa estratégia pensada para gerar comoção entre os fãs e rejuvenescer seu universo, a DC criou um evento chamado Crise nas Infinitas Terras e abandonou todo o histórico dos seus personagens, recriando o universo DC a partir de zero em janeiro de 1.987.

Nem todos os personagens tiveram sua origem recontada, especialmente os mais recentes como Gladiador Dourado. Mesmo o Superman tinha tido sua nova origem apresentada no fim de 1.986 e novamente algumas séries não foram interrompidas.

Já outros mais antigos como Sociedade da Justiça, Gavião Negro e Poderosa tiveram diversas tentativas para reajustar suas histórias com o novo contexto. Para se ter uma ideia 20 anos depois da Crise ainda estávamos vendo uma origem “definitiva” para a Poderosa.

A partir de Crise nas Infinitas Terras a DC Comics iniciou uma série de eventos anuais. Em 1.994 criou Zero Hora que fez a primeira correção geral das histórias após Crise. Não era um reboot, mas algo como um “semi-boot”.

Depois em 2005 e em 2007 a editora tentou novamente a correção ampla, com resultados diversos.

Agora a editora anuncia um novo evento, chamado Flashpoint, e após a ele o relançamento de suas séries mensais como um reboot do Universo DC.

Novamente é um plano arriscado!

A Marvel não faz reboot... faz esquecimento!

Brian Michael Bendis (em Novos Vingadores e Demolidor) e Bruce Jones (em Hulk) interpretam o passado como querem e alteram a ordem dos eventos como desejam (mentira!? Vejam Vingadores: Illuminati). Destes dois que citei Bendis se deu melhor e tornou-se o escritor de referência da editora, escrevendo eventos após eventos.

Mas nada altera o fato que a editora faz reboots mascarados como “uma nova perspectiva para a história”. Se isso não for suficiente para você a Marvel tem ainda o universo Marvel Ultimate e agora os universos “Forever”, onde um escritor de grande envolvimento com a equipe pode continuar a escrever um título abandonando toda a cronologia posterior à sua passagem.

Reboot há em tudo quanto é lugar. Resta saber se este da DC Comics está sendo feito da maneira correta e no momento ideal.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!