Pular para o conteúdo principal

O cerco: O passado é prólogo, II

Durante o Reinado Sombrio, Osborn esteve à frente dos Thunderbolts e do MARTELO. Com os Vingadores na marginalidade desde a Guerra Civil ele apropriou-se da marca e criou os seus próprios Vingadores usando uniformes e nomes semelhantes os personagens padrão que estavam bem posicionados na imprensa. Ele próprio ressurgiu como o “Patriota de Ferro”. As aventuras desta equipe foram narradas em “Dark Avengers” e publicadas no Brasil em “Reinado Sombrio”, uma série mensal da Panini Comics com 84 páginas que com o final do Reinado Sombrio deve terminar. Em março de 2011 estava no número 15.

Entre estes Vingadores “sombrios” existe um personagem chamado “Sentinela”, uma versão Marvel do Superman, que tem um alter-ego maligno chamado Vácuo. Apesar de influenciado por Osborn, tudo indica que Sentinela não está realmente sob controle e pode ser uma surpresa desagradável. Apesar disso pelo menos um destes pretensos “heróis” é alguém com objetivos puros, o Marvel Boy que abandonou a equipe assim que percebeu que estava cercado de vilões e loucos. Marvel Boy é a tentativa da Marvel em continuar a explorar o nome “Capitão Marvel”.

As intenções maléficas de Osborn nunca acabaram. Ele nunca se regenerou. O empresário criou uma “Cabala” onde reuniu vilões para trabalharem sob seu comando e obedecerem ao seu direcionamento, o quê era um exagero tendo em vista que reuniu o Capuz, Emma Frost, Namor, Loki e Dr. Destino. O sujeito achar que comanda Loki, Namor e Destino é uma loucura!

Este conceito de “cabala” não era novidade. Era uma versão maligna dos “Illuminatti” um grupo de heróis orientado por Homem de Ferro; mas também tivemos na DC Comics a Sociedade Secreta orientado por Lex Luthor, na verdade, Alexandre Luthor da Terra-3, na época da Crise Infinita. De qualquer modo parte do conceito de vilões unidos também já tinha sido visto na própria Marvel nos anos 1.980 na série “Atos de Vingança”. De lá certamente saiu o conceito da reunião em uma sala misteriosa.

Claro, nós sabíamos que o caldo iria entornar e foi isto que aconteceu.

Num determinado momento Asgard retornou e acabou se materializando assim de Oklahoma, EUA. Incomodado, Loki (no início em aparência feminina) manipulou Balder, Dr. Destino e Osborn. Primeiro fez com que os asgardianos fossem para o reino de Destino, a Latvéria. Depois indispôs os EUA contra Asgard, que decidiu fazer um cerco à Cidade Eterna.

A série com um prólogo e mais quatro partes “O cerco” conta o ataque do MARTELO, Osborn e seus Vingadores Sombrios à Asgard e as consequências disto. Segundo a Marvel foi um evento planejado durante sete anos. Não duvido, mas tenho minhas dúvidas sobre o fato da trajetória ter sido criteriosamente calculada.

Este mês já está disponível “O cerco: Prólogo” que mostra a ruptura final da Cabala e alguns detalhes que fazem a diferença. Vale a pena comprar.

Post scriptum
De qualquer modo apenas a título de curiosidade eu não consigo alinhar as atuações de Dr. Destino em Quarteto Fantástico, The Incridible Hulk, Hulk, Red Hulk, Dark Avengers e The Mighty Thor. No fim, obviamente tudo será explicado com a fórmula já batida do robôs-Destino, mas vale a pena comentar.

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…