Pular para o conteúdo principal

A Infinita Saga do Infinito, Parte X: O retorno de Warlock

Com o cenário armado só faltava algumas pontas soltas serem amarradas.

Em Silver Surfer # 44-45, 1990 (Superaventuras Marvel # 148, out-1994, Ed. Abril) o Surfista descobre que Thanos ainda está vivo.

O deus louco está usando as gemas espirituais como uma Manopla do Infinito (Infinity Gauntlet, o nome original de Desafio Infinito).

Ele seqüestra o Surfista Prateado e Drax para brincar com eles e anunciar o seu novo status divino.

Nestas edições entra na trama mais um perigosíssimo jogador: Mefisto, o demônio oficial da Marvel!

Disposto a obter para si a Manopla do Infinito, Mefisto finge obediência a Thanos que sabe que será em algum momento traído pelo demônio.

Thanos descobre que sua neta Nebulosa ainda está viva apesar de muito queimada e próxima à morte – e decide prolongar indefinidamente a dor da neta.

Mefisto narra a origem dos demônios e novamente confirma que as jóias eram parte do ser supremo.

Supostamente Mefisto mostra à Thanos meios de usar as jóias de maneira única e integradas ao cosmo – não sem antes tentar traí-lo e ser frustrado!

Em Silver Surfer # 46 (Superaventuras Marvel # 149) Jim Starlin leva o Surfista e Drax ao Mundo da Jóia Espiritual para onde foram absorvidos por Thanos e lá encontram Gamora, Pip e Adam Warlock!

Warlock que tornou-se uma espécie de guru para aquele povo, que é composto para centenas de almas que ele absorveu antes de morrer, vivendo uma espécie de Utopia. É Adam o primeiro a dizer que a alma do Surfista foi manipulada. Talvez por Galactus!

Em Silver Surfer # 47 (Superaventuras Marvel # 150), o herói luta contra Drax para deter a insanidade temporária do confuso personagem. Por fim, usando poderes místicos Adam envia Drax e Surfista de volta ao universo exterior à jóia.

Em Silver Surfer # 48 (Superaventuras Maravel # 151) um grande erro de avaliação do Surfista Prateado é corrigido, quando ele descobre que Galactus manipulou seus sentimentos de modo a ele não importar-se com as populações das centenas de planetas onde ele levou o devorador de mundos antes de chegar na Terra, e assim a memória de infinitas vidas ceifadas volta e corrói a alma já sobre sobrecarregada do Surfista.

Não fica claro em nenhum momento a razão de porque o Surfista importou-se mais com a Terra, ou por que o controle de Galactus diminuiu seu efeito aqui.

No Mundo Espiritual, Warlock decide tomar um papel mais ativo na trama.

Na edição seguinte, Silver Surfer # 49 (Superaventuras Marvel # 152, fevereiro de 1995) já com Ron Marz (The Green Lantern, 3º volume) nos argumentos, a história intitulada de “Desvio”, Thanos ataca o Surfista que ruma para a Terra para avisar os nossos heróis.

Em Silver Surfer # 50 (Superaventuras Marvel # 153) Jim Starlin assina seu último roteiro para o Surfista publicado no Brasil, onde pecados da alma do heróis são explorados e lembranças de mágoas de Zenn-La vem à tona. Talvez o Surfista não seja tão puro quanto imaginávamos... uma edição perfeita que faz grandes acréscimo à origem clássica do personagem feita por Stan Lee & John Buscema.

Por fim o herói cósmico chega à Terra e cai na Mansão do Dr. Estranho...

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…