Pular para o conteúdo principal

A infinita saga do infinito, XI: A Manopla do Infinito, I

A partir daí a história passa a ser contada na série Desafio Infinito (The Infinity Gauntlet # 1-6, Julho-Dez.1991, EUA, Desafio Infinito # 1-3, Março-Maio.1995, Ed. Abril). A Editora Abril não publicou alguns cross-overs da saga e deixa de publicar a série regular do Surfista Prateado.

Os cross-overs são: The Incredible Hulk # 383-385, 2º volume; Silver Surfer # 51-55, 3º volume; Dr Strange # 31 a # 33, 2º volume e Quasar # 26-27. Destes, somente as aventuras do Hulk foram publicadas em O novo Incrível Hulk # 141-143, março-maio.1995, Ed. Abril. Elas tinham Peter David, Dale Keown e Mark Farmer e representam parte de um momento importante na cronologia do Hulk, que conseguiu casar qualidade de texto com qualidade de arte.

Percebendo o quê tinha nas mãos a Marvel contratou o respeitadíssimo e competente artista George Pérez para assumir a arte da série The Infinity Gauntlet.

Infelizmente o artista teve atrasos devido a estar fazendo a arte da mega-sega da editora rival (a saga War of Gods da DC Comics) e só desenha até o terceiro número, sendo o restante desenhado por Ron Lim, e nas finais Josef Rubinstein com auxílio de Tom Christopher. Lim tentou, com sucesso, emular a arte detalhista de Pérez. No roteiro, é claro, Jim Starlin!

Na edição # 1 Thanos torna-se um deus e niilista (a declaração que Thanos tornou-se niilista é feita pelo Dr. Estranho, mas a página foi cortada da edição nacional, como se fosse possível cortar excessos no conjunto Jim Starlin/George Pérez). Warlock, Gamora e Pip reencarnam nos corpos de pessoas que morreram em um acidente. Irritado com a indiferença da Morte, Thanos realiza o pedido de sua senhora e elimina 50% da humanidade!

Na edição # 2 o universo reage ao desaparecimento de 50% das pessoas e Warlock contacta o Dr. Estranho, para estabelecer uma parceria. Eros/Starfox, dos Vingadores, é raptado por seu irmão. Odin convoca um conclave de deuses chefes de vários panteões, reunindo Zeus, do Olimpo, Itzamna, da civilização Maia, Osíris, do Egito, Nvada, da cultura celta, Tezcatlipoca, da civilização asteca, Svarog, da Rússia e Manitu, dos índios norte-americanos.

Warlock e Pip unem-se a Dr. Estranho, Dr. Destino (Victon Von Doom) e Surfista Prateado.
Ondas de choque de um ataque de ira destrutivo de Thanos causam destruição universal. Destrói o Japão e aprisiona o conclave de deuses em Asgard, pois destrói a ponte do arco-íris.
Infelizmente toda vez que é mostrada a Mansão dos Vingadores os editores acham necessário adulterar a arte de George Pérez e trocar o “A” estilizado da frente da mansão por um “V” por causa da tradução do nome Avengers para Vingadores. Será que os leitores brasileiros são incapazes de entender?

Na 3ª edição alguns heróis continuam a salvar vidas enquanto o time reunido por Warlock convoca Homem de Ferro, Wolverine, Homem-Aranha, Ciclope (na época líder do X-Factor), Drax, Senhor do Fogo, Nova (dos Novos Guerreiros), Namor, Manto (da dupla Manto & Adaga), Feiticeira Escarlate, Hulk e os Vingadores Thor, Visão, Mulher-Hulk e Capitão América.

Warlock e Surfista Prateado unem-se a Quasar e Epoch (responsável pela consciência cósmica do Capitão Mar-Vell e que transferiu a responsabilidade de guardião do universo para Quasar) para reunirem as entidades cósmicas Vigia, Lorde Caos, Mestre Ordem, o Estranho, Amor, Ódio, Eternidade, Kronos, Tribunal Vivo, Galactus e representantes dos Celestiais.

O sintozóide Visão avisa ao leitor e à Mulher-Hulk que a razão das derrotas anteriores de Thanos foram ele próprio! O vilão quis ser derrotado e assim permitiu ser derrotado, e talvez agora não queira!

Ao retornar à Mansão, o clima de tensão faz com que os heróis discutam, em especial devido à presença do Dr. Destino. Em reservado Warlock autoriza Wolverine e Hulk a usarem força extrema e recursos definitivos contra Thanos se tiverem chance. Em outras palavras: matá-lo!

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…