Pular para o conteúdo principal

A Legião, III

O número 63 é de agosto de 1989 e em novembro começa o quarto volume, inicialmente chamado de “Five Years Gap”, referência ao fato que a cronologia pulou cinco anos e houve alguns acontecimentos...

O roteiro de Giffen mostrava um futuro sombrio, com a Legião desacreditada.

Em 1993, como parte de uma revitalização da equipe e troca de equipes criativas, surgiu a série Legionnaries que seria publicada mensalmente, assim como também, Legion of Super-Heroes volume 4.


Em setembro de 1.994 a equipe passou com um reboot (reinício) e as séries LSH/Legionnaries se aproximam do Universo DC padrão durante anos, até que no final do milênio ambas as séries são canceladas e a equipe tem uma série chamada Legion Lost e uma nova série mensal The Legion.

Após quase três anos o universo é reconstruído novamente (o tal tri-boot) e surge a quinta série Legion of Super-Heroes de Mark Waid & Barry Kitson. O episódios com a participação da Supergirl foram publicados por aqui.

Durante a Crise Infinita Geoff Johns reuniu três versões da Legião (a presente até o terceiro volume, a posterior à Zero Hora e a tri-boot) em uma série e explicou que elas vinham de dimensões diferentes. Não foi citada a versão “Five Years Gap”.

A série foi um sucesso e a equipe, enquanto se arrumava ocupou o espaço de história de suporte de Adventure Comics e ganhou em nova série mensal a partir de julho de 2010 (data de capa), o quê vem a ser o sexto volume da série The Legion of Super-Heroes.

Ufa!

Mas lembre-se para ler – e se divertir – agora você não precisa saber nada disso!

Por sinal já toquei no assunto da Legião dos Super-Heróis por aqui nos seguintes posts:

Incapacidades (I)

Incapacidades (II)
Incapacidades (III)

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

O único animal, Luís Fernando Veríssimo

O homem é o único animal...
...que ri
...que chora
...que chora de rir
...que passa por outro e finge que não vê
...que fala mais do que papagaio
...que está sempre no cio
...que passa trote
...que passa calote
...que mata a distância
...que manda matar
...que esfola os outros e vende o pêlo
...que alimenta as crias, mas depois cobra com chantagem sentimental
...que faz o que gosta escondido e o que não gosta em público
...que leva meses aprendendo a andar
...que toma aula de canto
...que desafina
...que paga pra voar
...que pensa que é anfíbio e morre afogado
...que pensa que é bípede e tem problema de coluna
...que não tem rabo colorido, mas manda fazer
...que só muda de cor com produtos químicos ou de vergonha
...que tem que comprar antenas
...que bebe, fuma, usa óculos, fica careca, põe o dedo no nariz e gosta de ópera
...que faz boneco inflável de fêmea
...que não suporta o próprio cheiro
...que se veste
...que veste os outros
...que despe os outros
...que só lambe os outros
...que tem cotas de emigração
...qu…