Pular para o conteúdo principal

Stormbringer Livro 3: Sad Giant's Shield

And, if Chaos and Law were observing the Earth and her struggle, who watched these?

Stormbringer é uma coletânea de quatro noveletas de Michael Moorcock que tem como personagem principal o último Imperador Feiticeiro de Melniboné, Elric de Melniboné. A primeira edição da coletânea data de 1.965, publicada no ano seguinte ao encerramento do ciclo.

É comum nos trabalhos de Moorcock que ele revise o trabalho quando publicado em um novo formato, assim o livro A espada diabólica (Livraria Francisco Alves Editora, 1975 tradução da coletânea) tem uma versão mais curta da história.

Stormbringer é composto pelas noveletas Dead God's Homecoming, Black Sword'sBrothers, Sad Giant's Shield e Dommed Lord's Passing. Esta terceira noveleta foi publicada em Science Fantasy #63, em fevereiro de 1.964.

Ao ler a versão presente em Elric The stealer of souls (Chronicles of the Last Emperor of Melniboné: Volume I, Del Rey, 2008) notei que a versão traduzida une as tramas de Dead God's Homecoming e Black Sword's Brothers no conto O advento do caos, que todos as batalhas navais de Sad Giant's Shield, cerca de ¾ do conto, são cortadas em O escudo do gigante triste e que Dommed Lord's Passing transformou-se em A agonia do Príncipe Condenado. No momento não tenho elementos para afirmar que a versão em romance de Stormbringer, ao qual a Livraria Francisco Alves Editora baseou sua publicação em 1975, era uma versão curta das histórias originais ou se, estas presentes em The stealer of souls é que são versões estendidas.

A trata geral do ciclo trata sobre um conflito armado sobre oriente e ocidente e sobre o uso de magia em ambos os lados, desequilibrando a balança que equilibra as forças naquele universo. Tudo leva a crer que será o conflito definitivo entre bem e mal, entre Lei e Caos e que a humanidade sofrerá caso qualquer um dos lados ganhar a guerra.

[A trama]
Jagreen Lern, o teocrata, está muito próximo da vitória definitiva e vem colhendo resultados positivos em diversas batalhas navais, auxiliando por uma frota mística e um monstruoso capitão, chamado Pyaray.

Avisado por Sepiriz da existência de um escudo místico de um gigante chamado Mordaga – anteriormente um deus – Elric, Moonglum, Dyvin Slorm e Rackhir vão em busca desta arma para fazer a diferença na guerra.

Conseguirão chegar a tempo? Conseguirão fazer a diferença?

[Comentários]
Certamente uma noveleta que passou por diversas revisões da versão traduzida que li em A espada diabólica, a história gastas ¾ de seu roteiro nos enfrentamentos navais das forças dirigidas por Elric contra a Frota do Caos, que passa a transmutar seres vivos e especialmente espiões, exatamente a parte “cortada” na versão traduzida. O quarto final é a viagem e a “luta” pela posse do escudo e seu uso imediato.

Moorcock claramente foge do perfil clássico da sessão de RPG: para destruir o inimigo tome posse desta arma que te fará invencível. Por isso muito da história é sobre as mudanças que estão acontecendo na Terra e sobre os “até a vista”, repetidos diversas vezes. Em alguns momentos Elric vê-se cercado de amigos como Rackhir e Straasha, este último lorde dos oceanos e figurinha fácil no elenco da série.

Novamente a sede de poder de Stormbringer influencia Elric que toma a vida de pelo menos dois companheiros de batalha e novamente a companhia do príncipe albino faz com que alguém sofra uma dor maior. Isto leva a reflexão de que o próprio príncipe albino é amaldiçoado e que sua maldição alcança a todos que estão em seu entorno.

Um dos questionamentos indiretos que Moorcock faz em seu texto é o mote central de Watchmen de Alan Moore – amigo do autor e escritor da introdução da edição que possuo: quem vigia os vigilantes? Quem está vigiando o Caos e a Lei enquanto ambos estão vigiando e influenciado as ações na Terra? Seriam os humanos apenas bonecos nas mãos de seres que não se importam com seu destino, algo que na obra seminal de Moore é representado pelo heróis e vilões?

Deveria existir uma força suprema e imparcial que julgue a tudo e todos? Esta imparcialidade benéfica para algum dos lados da guerra?

As imagens que compõem este post são da série Elric: Stormbringer (1997) escrita e desenhada por P. Craig Russell e publicada em sete números pela Dark Horse/Topps Comics.





 



 

 





Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!