Pular para o conteúdo principal

Os Vingadores: Visão Absoluta

Das edições The Avengers #246-254 aconteceu uma gama variadíssima de aventuras.

É a partir daí que Sersi, membro da raça geneticamente evoluída conhecidos como Os Eternos, passa a fazer parte da equipe, neste primeiro momento só como colaboradora em uma aventura. Também Visão, na posição de líder, passa a fazer as negociações para a existência de uma equipe secundária, logra sucesso e vê a oportunidade de tentar algo maior.

Aqui temos a oportunidade de ouvir a narrativa da origem dos Eternos, feita por Ikaris. Eles são uma das duas raças que surgiram após manipulações genéticas nos humanos feitas pelos Celestiais – e outra são os Deviantes.

Sersi completa a história, relatando que nem sempre os Eternos foram pacíficos e que Titanus, uma grande cidade deles, foi palco de uma guerra civil onde Kronos derrotou Uranos.

Em seguida Kronos baniria os derrotados para o espaço e quebraria sua espada, mas um acidente em seu laboratório o fundiria ao universo.

Alars, um dos filhos de Kronos deixa a Terra, após seu povo escolher Zuras, seu irmão, como líder e coloniza o satélite Titã de Saturno, tornando-se Mentor, pai de Thanos e Eros, o Starfox! Starfox, por sinal é um dos personagens mais explorados da fase, com sua beleza que atrai mulheres como Vespa e Capitã Marvel.

O objetivo era puramente editorial para diferenciar definitivamente Olympia (dos Eternos) e Olimpo (de Hércules).

Os heróis enfrentam o Voragem em Olympia com os Eternos (#246-248). O vilão desejava se aproveitar de uma Uni-Mente – a união física e mental de todos os Eternos – para obter energia.

Derrotado o vilão, a raça então decide ir para o espaço, deixando apenas uns poucos membros em Olympia, que continuariam lá até a fase de John Byrne, quando definitivamente Sersi passaria a ser membro da equipe.

Mas Voragem, que não tinha sido verdadeiramente derrotado, ainda daria problemas para a equipe de heróis nas edições #250-251, e novamente a arte de Milgrom não ajuda muito numa trama de heróis coloridos. A edição #249, inédita no Brasil, é um tie-in com as tramas de Thor de Walt Simonson e sua Caixa dos Invernos Antigos, mas que une Hércules àquela formação dos Vingadores.

A partir da edição #252, Visão, que almeja a paz mundial, tenta usar mecanismos não muito éticos para consegui-la, como o encefalotron criado por ele e I.S.A.A.C. - o robô que controla a lua de Saturno, Titã, lar de Starfox. Veja que Stern tem toda a preocupação de apresentar heróis, vilões e a cronologia para o leitor e depois ir se aproveitando dos fatos.

O sintozóide afasta várias pessoas que poderiam por em risco seu plano como Monica Rambeau, a Capitã Marvel, que envia para o Santuário, a base espacial de Thanos. Lembre-se que outras figuras de liderança como Gavião Arqueiro e Homem de Ferro estavam na Costa Oeste ou envolvidos em seus problemas, assim como Thor e Capitão América, também distantes.

Na edição #253 Visão espalha sua consciência pela rede mundial de computadores (esta história é anterior à Internet como conhecemos, mas certamente Visão usou o protótipo de Internet que foi reaproveitado anos depois, a Arpanet) e invade o Pentágono, o Comando da Defesa Aérea, a SHIELD, o UNICAV (satélite do Líder), e satélites espiões e russos.

No Ciberespaço enfrenta a consciência de Quasímodo, computador criado originalmente pelo Pensador Louco e transformado em homem pelo Surfista Prateado.

Então na edição #254 Cavaleiro Negro (Dane Whitman), que havia sido aprisionado enquanto o restante da equipe lutava com os aliens Irmãos Sangue e os avisa.

A equipe tenta iniciar uma linha de argumentação com o sintozoide de modo a fazê-lo ver que os seres humanos não podem ser controlados, que os seres humanos podem fazer novas armas e que com o tempo ele pode ser corrompido em seus objetivos.

Visão é convencido da razão e em seguida desconectado do sistema pelos amigos antes que sua essência espalhasse pela rede, e assim que se vê livre introduz a mão no cérebro retirando o cristal de Ultron, que o fez raciocinar erroneamente.
O Departamento de Defesa descobre que o sinal do controle de seus equipamentos vinha da Mansão dos Vingadores e um general jura vingança.

Será por este motivo que o Visão será desmontado na clássica passagem de John Byrne pelos Vingadores da Costa Oeste.

Texto de Roger Stern, lápis de Al Milgrom & Bob Hall e finais de Joe Sinnott, Akin & Garvey (# 253) e Joe Delbeato & Joe Rubinstein (# 254) 

 

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…