Pular para o conteúdo principal

Carta Aberta aos Hobbistas de Bill Gates

Clique para ampliar
Agora a tradução da carta aberta aos hobbistas, o documento que Bill Gates lançou defendendo o fechamento do código dos softwares:

3 de Fevereiro, 1976
Carta aberta aos hobistas

Para mim, a coisa mais crítica no mercado de hobby é a falta de bons cursos de software, livros e software em si. Sem bons programas, e um usuário que entenda de programacão, um computador de hobby está desperdiçado. Software de qualidade será escrito para o mercado de amadores?

Há cerca de um ano, Paul Allen e eu, apostando no crescimento do mercado de entusiastas, contratamos Monte Davidoff e desenvolvemos o Altair BASIC. Apesar de o trabalho inicial ter demorado apenas 2 meses, nós 3 passamos a maior parte do ano passado documentando, melhorando e acrescentando funções ao BASIC. Hoje temos BASIC de 4k, 8k, EXTENDED, ROM e DISK BASIC. O preço em horas de computação que utilizamos para isso já passa dos U$ 40.000.

A reação de centenas de usuários que dizem estar utilizando nosso BASIC tem sido toda positiva. No entanto, duas coisas aparentes nos surpreendem: 1) a maioria desses usuários que nos escreveram não compraram nosso BASIC e 2) a quantia que recebemos proveniente das vendas do Altair BASIC nos renderam menos de U$ 2.00 por hora.

Por quê? Como a maioria dos hobistas devem saber, a maior parte de vocês rouba os programas que usam. Hardware deve ser comprado, mas software é algo para se compartilhar. Quem se importa com o pagamento daqueles que criaram o software?

Isso é justo? Uma coisa que vocês não fazem, ao roubar programas, é se vingar da MITS por algum problema que possam ter.(Nota do tradutor: o MITS era o fabricante dos Altair onde o BASIC de Bill Gates rodava. A montagem era caseira e muitos dos kits vinham com defeitos, causando problemas de hardware, os quais Gates comenta aí.). A MITS não ganha dinheiro vendendo software. Os royalties pagos a nós, o manual impresso, a fita e custos adicionais nos deixam trabalhando a preco de custo, sem lucro. Uma coisa que vocês conseguem com isso é impedir que bons programas sejam escritos. Quem tem o luxo de trabalhar profissionalmente sem pagamento? Qual entusiasta pode investir 3 anos-homem em programação, encontrando todos os problemas, documentando o sistema e depois distribuir tudo isso grátis? O fato é que ninguém além de nós investiu tanto dinheiro no mercado de software para entusiastas. Nós escrevemos o BASIC para o 6800, e estamos criando o 8080 APL e 6800 APL, mas há pouco incentivo para tornar estes programas disponíveis para os hobbistas. Mais diretamente, o que vocês conseguem com isso é apenas roubar.

E o pessoal que revende o Altair BASIC sem autorização, eles não ganham dinheiro com software de hobby? Sim, mas esses sobre os quais ficamos sabendo podem sair perdendo no fim. São eles que dão aos entusiastas má fama, e deveriam ser expulsos das reuniões de grupo nas quais aparecerem.

Eu gostaria de receber cartas de qualquer um que deseje nos pagar, ou que tenha sugestões ou comentários. Me escrevam no endereço 1180 Alvarado SE, #114, Albuquerque, Novo México, 87108. Nada me agradaria mais do que poder contratar dez programadores e inundar o mercado de hobby com bom software.

Bill Gates
Sócio gerente geral, Micro-Soft

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…