Pular para o conteúdo principal

The Walking Dead na TV

O último grande mito moderno são os zumbis com a concepção básica dos filmes de George Romero: mortos retornam à vida por contágio com um vírus zumbificante e querem alimentar-se de carne viva e fresca, preferencialmente cérebros.

Há variações sobre o tema em dezenas de filmes e mais recentemente em quadrinhos. A Marvel Comics explorou o tema com diversão em duas séries Marvel Zombies e mais três não tão divertidas assim. Atualmente existem 5 séries Marvel Zombies, 1 especial de prelúdio e dois arcos em séries mensais, um na série Ultimate Fantastic Four e um na série do Pantera Negra; além disso há um cross-over com The Army of Darkness.

Nos quadrinhos, nada disto seria possível se Robert Kirkman não tivesse produzido a série The Walking Dead, de longe a melhor revista publicada atualmente pela Image Comics – por sinal a mais vendida, com tiragens superiores a 25 mil cópias.

O foco da série de Kirkman não é o terror em si, mas como o ser humano pode se adaptar a uma situação extrema. Em The Walking Dead, o personagem central Rick conduz um grupo de sobreviventes a uma vã esperança de que a instituições ainda existam no centro do país. Não há eletricidade, telefonia, televisão, telecomunicações, jornais impressos e nem mesmo boatos, só há a esperança.

Eventualmente o grupo agrega mais sobreviventes e até encontra outras comunidades com experiências diversas.

* * *

O quê aconteceu?

Após 72 edições (data de capa de maio de 2010) não houve sequer uma gota de esgotamento das idéias de Kirkman e há uma curiosidade natural em saber o quê realmente houve. Mas a série não é conduzida para este foco pseudo-científico. Ninguém sabe, ninguém viu, ninguém sabe quando e onde iniciou a praga que atinge também quem morreu por qualquer outra razão. Ou seja, não há necessidade de ter o morto tido contato com algum zumbi para tornar-se um. Todos se tornarão zumbis!

* * *

Com relativo sucesso no mercado de séries mensais e encadernados, The Walking Dead foi negociada com o canal AMC para uma temporada de seis episódios e a empresa está fazendo direitinho a lição de casa, soltando semanalmente fotos e atualizações e estando presente na Comic Con – 2010.

A expectativa em cima da série é grande e já foi divulgado que a Fox comprou os direitos de distribuição internacional.

Fique ligado por que há a possibilidade de vir a nascer uma grande série de drama/horror em breve.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!