Pular para o conteúdo principal

O retorno do Gavião Negro, II


Para chegar à Polaris a equipe usa a Torre do Sr. Destino, o quê nos dá espaço para descobrir o drama de Hector Hall/Sr. Destino. Há algumas semanas, Hector encontrou uma indigente que reconheceu como sua amada Lyta Trevor Hall. Ela está em coma e Hector acredita que o estado seja induzido por Mordru. Dr. Meia-Noite, que tornou-se o médico oficial da equipe não consegue reverter o quadro da moça.

Em Thanagar, Kendra descobre que a cultura baseada em anjos e demônios facilitou a ascensão de um dos demônios chamado Onymar Synn. Numa sequência de eventos típicos de histórias em quadrinhos, os heróis iram chegar em Thanagar, enfrentar membros selecionados da guarda de Synn – algo como uma equipe de vilões -, serem derrotados e depois venceram. É previsível mas emocionante no desenrolar.

Pouco antes da equipe chegar, Kendra auxilia a Carter retornar ao mundo dos vivos através de um poço místico. Desta vez Carter retorna com todas as recordações de todas as suas vidas e com a saúde perfeição em um corpo adulto.

Em seguida Carter e Kendra encontram a SJA e partem para o ataque à Onymar, que os derrota com certa facilidade e, preocupado com a questão de uma nova centelha de esperança em Thanagar, atira os Campeões Alados sem suas asas para a morte certa.

Carter consegue salvá-los e inverter o quadro.

Quando se faz necessário as armas que Flash trouxe do passado longíquo para derrotar o deus maligno, Carter as potencializa com o amor entre ele e Shiera/Kendra e consegue destruir o Synn que usava seus poderes para tornar-se uno com Thanagar e criar um monstro de pedra.


Há espaço para Johns tocar sutilmente no ateísmo de Sr. Incrível, quando ele está preso com o Flash; espaço para Adão Negro começar a se tornar um membro valioso da equipe; espaço para Kendra explicar à Carter que, ainda que algumas memórias não muito claras de Shayera ela definitivamente não é a esposa dele e ela não está automaticamente envolvida romanticamente com o Campeão Alado.

De volta à Terra, após a derrota de Synn a equipe básica da Sociedade – Flash, Lanterna Verde, Gavião Negro e Pantera – está reunida novamente.








Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…