Pular para o conteúdo principal

Injustiça seja feita

Este arco se estende das edições JSA #16-20, com epílogo na #21. Com texto de David Goyer & Geoff Johns, lápis de Stephen Sadowski e finais de Michael Bair, é um dos arcos mais emocionantes da série que neste momento já se consolidava como uma referência no mercado.

A trama bem movimentada não tem nenhuma complicação. Meses antes, Johnny Pranto roubou uma amostra do Rei das Lágrimas dos laboratórios da SJA, agora ele retorna com a Sociedade da Injustiça – formada por Geomancer, Vespa Assassina, Flash Reverso/Rival (Edward Clariss), Geada, Tigresa, Shiv, o druida Blackbriar Thorn e Pensador (uma IA que um dia foi Cliff Devoe) – que ataca a equipe de heróis em sua sede, enquanto Flash, Pantera e Sand enfrentam parte dos vilões externamente.

Sr. Incrível lacra a sede, divide os heróis e vilões e tenta operar o Lanterna Verde, ferido por madeira, durante a luta e Pantera faz um contato com Adão Negro, que finge simpatizar com a proposta de Johnny Pranto, mas deseja retormar seu papel de herói.

Em vários momentos a equipe é dividida de modo a enfrentar vilões que revalizam com suas capacidades, como a batalha entre Flash e Flash Reverso – um vilão de Flash Comics #104 e não o Professor Zoom, mais conhecido. Numa trama de cinco partes normalmente as duas primeiras apresentam os vilões e a derrota dos heróis e esta não foge à regra. Mas o faz com qualidade de texto o que produz a diferença.

Os heróis conseguem inverter a situação, enfrentar os invasores e seguir para o combate com Pranto que está trazendo uma criatura chtuluniana para a Terra. Outros obras em quadrinhos falam de criaturas assim. Veja The Authority/Planetary, Hellboy e versão Ultimate Marvel para a chegada de Galactus e se recordará. Por erro alguns humanos adoram estas criaturas como “deuses” e acreditam que o correto é abrir um portal entre as dimensões para que estes seres venham para cá.

Pranto, no entanto, não é um inimigo recente da SJA, já enfrentou a equipe em, no mínimo, duas oportunidades, sendo até desmaterializado por um mecanismo acionado por Sandy, mas retornou com novos poderes e capturou heróis de uma equipe secundária (a qual pertencia o Scarab, coadjuvante do primeiro arco). Ele usa uma terno e uma máscara fina que sobrevoa no nada. Ao afastar a máscara do rosto invisível a pessoa “vê” uma energia que o mata, ou seja, levemente semelhante à aplicação dos poderes do Pirata Psíquico, só que Pranto não manipula as emoções.

Pranto e o Rei das Lágrimas foram no passado derrotados graças a interferência do todo-poderoso Espectro (lembre-se de Monstro do Pântano – Gótico Americano para lembrar a postura do espírito da vingança contra ameaças que realmente estejam em seu nível de poder). Atualmente Pranto injeta os vestígios do Rei das Lágrimas em Scarab e faz renascer o monstro em nosso dimensão. Scarab apareceu no primeiro arco da SJA – Justiça seja feita (aqui) e teve uma série limitada de oito partes entre 93/94 pelo selo Vertigo.

Johnny Pranto conta com o fato de que Espectro, ausente da equipe que integrava nos anos 1.940, não vá ajudar aos heróis agora.


Enquanto isto tudo está acontecendo, Flash convoca JJ Thunder e o gênio Relâmpago para auxiliar a equipe, Hector/Sr Destino afastado da batalha descobre que uma indigente no hospital é Lyta Trevor, Kendra Saunders tem vislumbres de memórias ascentrais de Chayra amada do Gavião Negro, monstros invadem a cidade e finalmente chega o Espectro – agora fundido à Hal Jordan desde o evento O retorno do herói/O dia do julgamento.

Espectro é derrotado nas última páginas da edição 19 para criar tensão para a conclusão na edição seguinte.

Dr Meia-Noite, seguindo um plano de Sand (que está aprisionado por Johnny), consegue derrotar Pranto, enquanto após a desistência do Espectro em enfrentar o monstro – ele não tem alma a ser punida – Sr. Incrível faz um plano que irá criar um acelerador de partículas com Flash e Adão Negro.

O truque funciona, mas Flash vai ao passado onde encontra-se com Khufu, Nabu e Teth Adam!

Na edição #21, o epílogo, Adão exige que Sand o aceite na equipe, ao qual ingressará em fase de testes. Sand pressiona Kendra para conseguir respostas sobre o passado da moça, afinal ela admite ter matado pessoas!

Pantera questiona o Vespa Assassina sobre o sequestro de seu filho anos antes. O herói boxeador deseja saber que o atual Vespa é seu filho geneticamente modificado pelo Vespa original. O vilão nega. Ted Grant, o Pantera, sempre foi apresentado como o simpático tio, mas nota-se que a intensão é deixar claro que uma família faz falta ao herói. A questão do Vespa não seria mais tocada na série principal e a questão familiar retornaria no primeiro arco de Justice Society of America volume 3.

Bones questiona Esmaga-Átomo sobre a presença de Hank Hall nos destroços do avião explodido pelo Kobra. É uma maneira do autor ressaltar as modificações de Albert e seu endurecimento para um modelo “justiça com as próprias mãos”. Estaria o nobre Rothstein tornando-se um justiceiro e obscurecendo a trajetória de seu padrinho Átomo (Al Pratt)?

Kendra se aconselha com o anjo Zauriel – das histórias da Liga da Justiça, um anjo que abanou o posto por se apaixonar com uma humana – que confirma o quê ela teme: ela é a reencarnação da amada de Khufu e a verdadeira Kendra Saunders está morta!

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…