Pular para o conteúdo principal

Escolhas erradas III

Enquanto se preparava para o evento Crise Infinita – algo que durou doze meses entre a preparação e o evento em si – e após, quando consolidava as mudanças inseridas, a DC Comics preferiu não tocar muito no assunto Jason Todd/Capuz Vermelho, exceção feita ao anual que “explicava” o retorno do personagem.

Todd retornou numa polêmica série semanal chamada “Contagem Regressiva”.

Polêmica de ruim!

Ruim até a última gota de nanquim!

Na trama, Todd se une a Donna Troy, Kyle Rayner e outros numa busca por Ray Palmer, o Elektron, no Multiverso. Apesar de seu temperamento forte, Jason poderia ser descrito na série, no máximo, como um anti-herói e ranzinza, criando uma ou outra situação de escolhas difíceis, mas ainda assim, um anti-herói, não um vigilante e muito menos um vilão.

Terminada Contagem Regressiva começou Crise Final que durou oito meses, onde ao final Batman “morre”.

Todd decide então tornar-se um Batman que usa armas e mata, tornando-se definitivamente um vilão.

De parceiro morto e maior símbolo de falha de Batman – trama plantada em Cavaleiro das Trevas de Frank Miller -, Jason Todd tornou-se símbolo de uma trama longa de qualidade duvidosa e dos rumos da DC Comics nos anos 2.000.

O curioso é que individualmente os arcos “Morte em Família” e “Under the Red Hood” são leituras agradáveis. Somando-as e cimentando com a pesada cronologia da DC Comics a coisa fica desagradável.

Como o filme não aborda a bobagem de ondas de choques de realidade e nem faz o expectador sentir-se confortável diante uma situação imutável – a morte de um personagem anos antes -, resumindo isto rapidamente é melhor assistir ao filme do que ler o arco no papel.

E... bons sonhos.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

A Saga do Quarto Mundo: Novos Deuses, volume 1 e 2

Ponto central a Saga do Quarto Mundo em New Gods (Novos Deuses em português) temos as aventuras de Orion sozinho ou auxiliado por Magtron e humanos. A parceria entre um deus e humanos seria evocada novamente em Os Eternos (1.976-78) do mesmo Jack Kirby. Em ambas as séries, após a parceria inicial os humanos seriam abandonados.

Aqui a macro-trama é que na Terra o deus maligno Darkseid tem pistas de uma fórmula chamada equação anti-vida ao qual deseja com objetivos próprios. Orion, filho de Darkseid mas criado pelo benigno Pai Celestial, é o nêmese de seu pai e está destinado a matá-lo.

Além de New Gods a Saga do Quarto Mundo foi publicada nos primeiros volumes das séries Mr Miracle (Senhor Milagre), Forever People (Povo da Eternidade) e Superman Pal's Jimmy Olsen (a única que não foi criação original de Kirby).

Originalmente New Gods foi publicada em série bimestral com onze números (março de 1972- novembro de 1972).

Em 1984 a DC Comics re-editou a série original em The New Gods,…