Pular para o conteúdo principal

Vampiros na Marvel

Conforme apontado no essencial A Era de Bronze do nosso amigo virtual Roberto Guedes (aqui), Drácula foi o vilão que teve a maior série em quadrinhos publicada pela grandes editoras em quadrinhos.

Era um excelente título escrito por Marv Wolfman (Crise nas Infinitas Terras) e com arte de Gene Colan (Demolidor, Capitão América). Anos depois a mesma dupla tentou reeditar o sucesso na DC Comics com a série Night Force, que unia a mesma dupla.

Drácula saiu de moda há muito tempo. Mas, assim como quadrinhos com versões femininas de personagens e quadrinhos com personagens negros, voltou à moda.

Uma pausa: Luke Cage de hoje é realmente um personagem e não um estereotipo.

O ciclo do retorno dos vampiros não começou nos quadrinhos realmente. A série em livros Eclipse vende milhões e tem uma série cinematográfica de igual sucesso, que atinge os leitores dos livros e os adolescentes que consomem a fantasia cinematográfica atual (Harry Porter, Senhor dos Anéis, Crônicas de Nárnia).

Na TV temos a boa True Blood (HBO) e a Vampiries Diaries (Warner Channell), além da boa, mas cancelada, Moonlight e eventuais episódios em Supernatural.

Correndo por fora há a contratação de roteiristas e atores para uma nova versão de Fright Night, comédia de terror de 1.985 sobre um adolescente que acredita que seu vizinho é um vampiro. Assim como os zumbis voltaram, logo teremos uma avalanche de filmes de cinema com vampiros.

Diante de um quadro tão promissor, a Marvel decidiu reestruturar seu universo de sugadores de sangue. A reestruturação inicia em “The Death of Dracula” e vai colocar os personagens em rota de colisão com os mutantes da editora.

Reestruturações anteriores tentaram colocar os vampiros como bons vilões em um sub-universo da editora – ou selo, se preferir – o “Midnight Sons” - título escolhido pela semelhanças em inglês entre as pronúncias das palavras “filhos (sons) da meia-noite” e “sóis (suns) da meia-noite”.

A Marvel deseja, é claro, atrair os leitores da série de livros Eclipse e parece pelas páginas divulgadas que irá fazer tramas que lembrem o contexto da série de RPG Vampiro: A máscara, ou seja, vampiros separados em clãs com características próprias e hábitos distintos, misture a isto o padrão de super-herói com a escolha de uma tribo para se tornar a “tribo boa” versus a “tribo ruim” e poderemos ter alguma ação, violência e muitas cópias de revistas vendidas.

Veremos no que vai dar.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!