Pular para o conteúdo principal

Cancelamentos

Entre os cancelamentos das séries de TV estadunidense três me chamam a atenção.

The New Adventures of Old Christine, série protagonizada por Julie DreyfussSeinfeld – sobre as aventuras de uma mulher divorciada. Teve quatro temporadas e era um sitcom indicado para adultos, com temas já bastante comuns na TV como divórcio, filhos de pais divorciados, irmãos afeminados, mulheres em busca de satisfação sexual e relacionamentos duradouros e encontrando o inverso, mas com um tratamento menos família. Era divertido, mas tinha um visual de série dos anos 1.990, talvez em função de que a maior parte dos atores principais sejam pessoas com mais de quarenta anos.

Heroes, série criada por Tim Kring e lançada como grande promessa, teve uma razoável primeira temporada e uma segunda que foi bastante atrapalhada pela greve dos roteiristas. Super-seres surgem na Terra divididos entre bons e maus e a produção suga indelicadamente roteiros de quadrinhos para servir de inspiração. Surgiu na época da primeira “crise” de criatividade de Lost (fim da segunda/início da terceira temporada) e por isto atraiu muito gente que estava procurando uma alternativa. A série nunca teve uma gota de criatividade e para quem lê hq's mostra apenas que já existe tecnologia na TV para filmar os personagens que gostamos de forma adequada. Quatro temporadas.

24, série protagonizada por Kiefer Sutherland que mostra em tempo quase real um dia na vida de um membro de uma agência de espionagem, contra-espionagem e anti-terrorismo. Muito popular pelo formato – cada episódio equivalia a uma hora do dia da vida do personagem – e pela época, já que foi lançada pouco após o ataque de 11 de setembro e por isso justificava as ações nada democráticas do agente Jack Bauer. Foi a primeira série famosa a exterminar personagens de primeiro escalão gratuitamente num início de trama. Após oito temporadas cumpriu sua missão e se desgastou no ar, mas certamente é possível encontrar boas doses de diversão, violência e tensão nas temporadas 1, 3 e 5. Vale lembrar que o projeto original era uma sitcom sobre as 24 horas que antecediam a um casamento.

Para mais cancelamentos veja notícia no Omelete (aqui).

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!