Pular para o conteúdo principal

Guia TV

Pobre de finanças, mas nem sempre de cultura – ou pelo menos pretendo, óh presunção! - namoro há meses uma TV destas grandes, mas fiz uma promessa: comprarei uma TV de plasma de 42” apenas quando o valor for R$ 1.400,00!

A cada semana vejo o formato aproximar-se do preço, mas fico perdido com siglas que aparecem como HDMI.

Então resolvi copiar de VEJA nº 2.162 de 28 de abril de 2.010 algumas explicações.

Entrada HDMI
O que é: um conector para transferência de dados de imagem e som, que circulam em um único cabo.
Para que serve: Para reproduzir filmes em Blu-ray, jogar video-game de última geração e exibir na TV o conteúdo do computador.

Entrada USB (Universal Serial BUS)
O que é: uma porta para a conexão de pen drives e discos rígidos (winchesters ou hard disks/HD) externos.
Para que serve: reproduz na tela o conteúdo armazenado por estes dispositivos – como músicas, fotos e vídeos. No entanto, alguns modelos reproduzem apenas músicas e fotos, informe-se no ato da compra.

Entrada para PC
O que é: por meia dela, pode-se ligar o computador ou o notebook diretamente no televisor.
Para que serve: a tela do tevê vira monitor de PC. Reproduz imagens e exibe arquivos e documentos. Para vídeos, é necessário ter também um cabo de áudio.

Progressive Scan
O que é: recurso que proporciona imagem mais nítica.
Para que serve: essa tecnologia altera a sequência da exibição das linhas que formam a imagem na tevê, tornando-a sensivelmente mais fiel.

HD Interno
O que é: nesta opção, o disco rígido (winchester, hard disk/HD) fica dentro do televisor.
Para que serve: para gravar programas no próprio aparelho, dispensando o gravador de DVD. Um HD de 160 gigabytes armazena treze horas de gravação em resolução máxima.

Conversor integrado
O que é: um decodificador que recebe sinal digital dos canais abertos.
Para que serve: com ele, é possível captar a imagem digital da TV aberta e assim dispensar a compra de um aparelho especialmente para cumprir esta função. Mas atenção: é necessário ter uma antena UHF acoplada ao televisor.

Frequência
O que é: o número de quadros por segundo que o processador do televisor consegue reproduzir.
Para que serve: quanto mais quadros por segundo, melhor a qualidade da imagem. A maioria dos televisores de LCD tem freqüência de 60 hertz, ou seja, exibe 60 quadros por segundo. Os televisores Full HD têm 120 ou 240 hertz – e ainda neste semestre serão lançados modelos de 480 hertz.

Contraste
O que é: a taxa de contraste define o número de tons de cinza existentes entre o preto e o branco
Para que serve: para dar sensação de profundidade à imagem. Quanto maior é a diferença de nuances entre o ponto mais claro e o mais escuro exibidos na tela, mais gradações de cores são visíveis. Os televisores de LCD convencionais possuem contraste de 50 mil a 100 mil variações entre os extremos de branco e preto. Os tevês de LED possuem taxa de contraste na casa dos milhões.

Acesso à Internet
O que é: permite acessar a rede com banda larga via cabo, sistema wi-fi ou ambos.
Para que serve: embora não seja possível navegar livremente pela internet, cada fabricante ofece um pacote específico de portais, como YouTube, Flickr, Twitter e canais de notícias. O controle remoto é usado como teclado.

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…