Pular para o conteúdo principal

Fringe, 2ª temporada: A mitologia

As séries tornam-se importantes quando produzem sua própria mitologia.

Ao final da primeira temporada, um vilão da série, responsável por ataques da ZFT tenta acessar outra dimensão e falha.

No epílogo do episódio, depois de várias tentativas de encontrar William Bell, para que lhe explique por que foi drogado com uma droga experimental por ele e Walter Bishop – agora louco e impossibilitado de fornecer uma resposta lógica (talvez) – Olivia é transportada por uma dimensão alternativa onde o escritório da Massive Dynamic é no World Trade Center, que naquela dimensão não foi destruído.

Lá encontra com William Bell, interpretado pelo ator Leonard Nimoy, famoso por ter vivido o personagem Sr Spock nas séries de TV Star Trek e nos filmes para cinema.

Corte.

Pausa entre temporadas.

Retorno.

Com a missão de criar mais uma franquia JJ Abrams, que foi responsável por Alias e Lost e tinha acabado de reconstruir a história de Star Trek no filme de 2.009, agora tinha uma série que até o momento seria, no máximo, um triste arremedo de X-Files (veja aqui).

Então, além dos episódios de monstros da semana, ele cria uma trama que tenta crescer e é apresentada em especial em dois episódios (2x01 e 2x04).

Atualmente dimensões alternativas são corriqueiras. Star Trek tem o “Mirror Universe” e agora o universo “Star Trek, 2009” (por falta de um nome melhor como Star Trek Reboot Universe, que tal?).

Quadrinhos tem dimensões alternativas aos montes: E se...?, Exilados, Terra-1, Terra-2, Terra-3, Terra-X, Crises, selos...

Na TV tivemos Sliders, onde um grupo de viajantes navegava em um mesmo dia e lugar em Terras alternativas. Lost tem uma série de eventos na sexta temporada que está sendo descrita como dimensão alternativa.

Então lá vai a pedrada. Agentes de uma outra dimensão procuraram alguém que poderia abrir um portal para uma invasão em massa. Estes agentes são transmorfos e assumem memória e corpo físico das pessoas, mas não podem ficar presos muito tempo à mesma forma.

Bell, que não deixa claro os objetivos destes agentes, mas subentende-se que sejam nocivos, devidos aos atos praticados, teme que após a abertura deste portal haja um choque de dimensões.

Acreditando que estava preparando “guerreiros” para este tráfego entre universo, Bell & Bishop drogaram e testaram Olívia e outros coadjuvantes da série.

De volta à nossa dimensão um dos agentes mata o parceiro de Olívia, Charles Francis, e assume sua identidade até ser descoberto (episódio 4) e morto.

Os agentes tomam posse de uma cabeça em criogenia que retorna ao corpo que foi arrecada.

Este é o status do início da segunda temporada.

Além disso há uma esquisita trama que sugere que Peter Bishop já tenha morrido e que o personagem atual seja “algo” (um clone?). Mas até o quinto episódio são indícios apenas que a criatividade do roteirista pode levar para qualquer lugar. Por exemplo, na primeira temporada, havia uma trama que sugeria que Walter Bishop fosse o responsável pelo manifesto da ZFT, por causa de uma máquina de escrever com um tipo característico.

Os produtores preferiram introduzir o conceito que Bell e Bishop foram grandes colegas de laboratório e que a máquina era de Bell, ainda que estivesse na posse de Bishop. Ou seja, uma sutil mudança de planos.

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…