Pular para o conteúdo principal

Nossa última e melhor esperança de vitória: Babylon 5! – Parte 8

Os spin-offs

Desde que acabou tenta-se fazer uma continuação das tramas de Babylon 5. Houve três tentativas, a primeira com a série Crusade, a segunda como tele-filme Babylon 5: The legend of Rangers – To live and die in starlight e a terceira com Babylon 5: The lost tales.


Crusade (1999)

Crusade conseguiu se tornar uma série, porém divergências entre a TNT e Straczynski fizeram-na uma das primeiras séries de TV, canceladas antes mesmo de ir ao ar o primeiro episódio. Foram exibidos 13 episódios e a trama continua em aberto. O plot previa cinco anos de série, sendo que a trama inicial seria resolvida durante a segunda temporada.

Como a série se passa após o aniversário do quinto da Aliança já havia acontecido a “Guerra dos Telepatas”, que é várias vezes citada nos episódios.

A trama mostra o dia-a-dia da nave Excalibur comandada pelo Capitão Matthew Gideon, escolhido pessoalmente pelo Presidente da Aliança para partir em uma cruzada pela cura da praga Drakh lançada na Terra.

Há participação da Comandante Lochley em três episódios, sendo que um deles se passa na estação Babylon 5. A Comandante chega a iniciar um romance com o Capitão Gideon – prejudicado em parte devido à ordem de exibição dos episódios, que não é a ordem cronológica dos eventos. Dr. Stephen Frankly, já no posto de Xenobiologista Chefe da Terra, também aparece em um episódio. Apesar de agradável no geral, os treze episódios não mostram nenhum grande avanço na cura da praga e apontam que os Drakh estão cientes na missão da Excalibur.

Babylon 5: The legend of the rangers (2002)

Já The legend of the rangers foi um telefilme mal recebido pelo público e crítica, não chegando a criar realmente uma nova série. Focado nos Rangers, em alguns momentos a produção parece tentar fazer algo para um público jovem demais, com direito a namoros, brincadeiras de academia, acionamento de mecanismo de batalha com coreografias que lembram os padrões de séries como “Power Rangers” e seus derivados.

Babylon 5: The lost tales (2007)

Criada para o mercado de venda direta, “The lost tales” lançada em episódio longo em 31 de julho de 2007 (“Voices in the dark”) retorna à estação no aniversário de 10 anos da fundação da Aliança Interestelar. Neste primeiro episódio temos a participação do Presidente Sheridan, Coronel Lochley e Galen, o tecno-mago além do surgimento de um novo personagem importante na sucessão em Centauri Prime, o Príncipe Regente Vintagi, terceiro na linha de sucessão. A primeira trama fala sobre uma possessão demoníaca em Babylon 5 e na segunda, que apresenta Vintagi, Sheridan tem que tomar mais uma difícil decisão que poderá afetar o futuro da Terra e de Centauri Prime.

Na época se comentava ser possível que no início de 2008 fosse lançado outro episódio, e rumores contavam que teria a participação do Imperador Mollari, personagem fundamental na série.

Mas descontente com a críticas de “produção pobre” para The Lost Tales Straczynski informou que irá produzir um novo episódio somente quando tiver orçamento de fato.

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…