Pular para o conteúdo principal

Vertigo, o selo de terror e fantasia da DC Comics, Parte 3

No Brasil
Os títulos pré Vertigo da década de 1.970/80, como Monstro do Pântano e “House of Mistery” (em especial a série I... Vampire) podem ser encontrados por aqui em lançamentos da EBAL.

“Monstro do Pântano” teve um álbum gigante e uma série mensal, já “House of Mistery” teve algumas Edições Extras dedicadas ao tema – Histórias de Assombração de abril de 1980; Histórias de Crimes de agosto de 1980; O Monstro do Pântano de maio de 1982; Histórias de Casas Mal-Assombradas de julho de 1982.

Na Editora Abril, Monstro do Pântano surgiu em “Heróis em Ação” (que republicou a primeira história do personagem), migrou para “Novos Titãs” e se estabeleceu em “Superamigos”, quando teve direito a uma edição especial em “Superpowers”. Posteriormente retornaria em série própria, que dividiu com a série John Constatine Hellblazer a partir do número 12.

Devemos lembrar que Homem-Animal de Grant Morrison (pré Vertigo) foi publicado na série DC 2000.

Com o cancelamento da série Monstro do Pântano, o mercado só teve acesso a Sandman, publicado de maneira errática pela Glob/Devir, com direito a cancelamentos não anunciados e retornos. A Globo publicou também a primeira série da personagem Morte.

A Abril então voltou a publicar o selo Vertigo meses depois do lançamento oficial do selo nos EUA, agora em um almanaque de 100 páginas, que trouxe Hellblazer, Sebastian O, Livros da Magia, Sandman Mistery Theatre e Jonah Hex. Graças ao conteúdo da fase Garth Ennis em Hellblazer, a série nacional sofreu censura interna e foi cancelada.

A Tudo em Quadrinhos assumiu o selo em 1997, mas somente no segundo semestre de 1998 é que intensificou os lançamentos.

Começou timidamente com Patrulha do Destino, Vertigo Essential (que republicava Monstro do Pântano e Sandman em p&b) e dando sequência ao material de Hellblazer e Livros da Magia, lançando Preacher e Shade – o homem mutável e retornando com Monstro do Pântano – que ganhou a minisérie “O celestial e o profano”, depois uma edição especial e finalmente uma série mensal de só dois números.

Meses depois a Abril compraria um lote de séries e tentaria se estabelecer com séries de conteúdo mais questionador e menos violento ou místico. É desta fase a segunda série da Morte – O grande momento da vida e o Mundo de 2020.

A Tudo em Quadrinhos lançou dezenas de miniséries e inclusive duas séries mensais raras cujos números são disputados pelos fãs: Hellblazer e Preacher.
Após o encerramento das atividades da editora estas séries seriam publicadas pela Brainstore (a partir de 2001), que teve uma linha respeitável de títulos, ainda que um pouco caros e com distribuição centrada em comics shoppings.

Chama a atenção, desta fase a sensacional Transmetropolitan de Warren Ellis, que infelizmente não teve sua saga conclusa por aqui – ainda –, Lucífer e Sandman Apresenta, estas duas explorando até a última gota as idéias de Neil Gaiman.

Com o encerramento das atividades da Brainstore, que teve sua linha alterada com a compra dos direitos da DC Comics pela Panini e em seguida o proprietário sofreu um acidente que o obrigou a se afastar temporariamente da editora, a Opera Graphica adquiriu os direitos de vários títulos da Vertigo, dando atenção especial para 100 Balas, Y – O último homem, War – Histórias de Guerra (Garth Ennis) e parte da série Legends of the Dark Knight (que não é Vertigo).

A série mensal 100 Balas teve uma grande duração, chegando à marca de 36 números, e em seguida continuando a ser publicado em encadernados de capa dura. A Opera Graphica também procurava viabilizar sua séries com distribuição em gibiterias e tiragens baixas, o quê afastou alguns leitores.

A Devir também mordeu sua parte do bolo quando adquiriu parte da Vertigo e o selo Homage da Wildstorm. Lançou entre outras Monstro do Pântano (a série mais atual nos EUA) e Fábulas e relançou Preacher.

A Conrad, que já tinha lançado os romances de Neil Gaiman adquiriu os direitos para lançar Sandman em 10 luxuosas edições de capa dura trimestrais e publicou também o encadernado com as duas séries de Morte.

Em 2006 os direitos da Vertigo foram adquiridos pela Pixel numa negociação que incluia a princípio toda a linha DC Comics. A editora lançou a Pixel Magazine, onde o carro chefe foi Hellblazer, re-editou 100 Balas desde o início, e dado sequência ao material de Preacher a partir do ponto da Devir. O curioso é que no ponto em que a Brainstore deixou, faltava apenas uma saga a ser publicada.

Após dois anos e 21 números a Pixel Magazine foi cancelada e o contrato repassado. A Pixel publica atualmente apenas uma versão juvenil de “Luluzinha e Bolinha”, explorando o filão aberto por “Turma da Mônica Jovem”.

A Panini Comics assumiu o selo e lançou a série Vertigo, assunto que já abordamos por aqui.

A saga da Vertigo é longa e envolvente e é marcada pela tentativa de uma grande editora em concentrar grandes autores e atender a um nicho de mercado.

Atualmente nos EUA, as séries mais conhecidas do selo são “100 Balas” e “Fábulas”, ambas com fim marcados para breve.

100 Balas, que supostamente terá 100 edições está no número 86, e o autor de Fábulas anunciou que irá concluir a publicação em breve.

Por “fora” estão as séries que a Panini concentrou em seu almanaque (Hellblazer, Scalped e Vikings).

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

O único animal, Luís Fernando Veríssimo

O homem é o único animal...
...que ri
...que chora
...que chora de rir
...que passa por outro e finge que não vê
...que fala mais do que papagaio
...que está sempre no cio
...que passa trote
...que passa calote
...que mata a distância
...que manda matar
...que esfola os outros e vende o pêlo
...que alimenta as crias, mas depois cobra com chantagem sentimental
...que faz o que gosta escondido e o que não gosta em público
...que leva meses aprendendo a andar
...que toma aula de canto
...que desafina
...que paga pra voar
...que pensa que é anfíbio e morre afogado
...que pensa que é bípede e tem problema de coluna
...que não tem rabo colorido, mas manda fazer
...que só muda de cor com produtos químicos ou de vergonha
...que tem que comprar antenas
...que bebe, fuma, usa óculos, fica careca, põe o dedo no nariz e gosta de ópera
...que faz boneco inflável de fêmea
...que não suporta o próprio cheiro
...que se veste
...que veste os outros
...que despe os outros
...que só lambe os outros
...que tem cotas de emigração
...qu…