Pular para o conteúdo principal

Homens de negro

Fã de quadrinhos gosta de séries de TV.

As séries de TV tem toda uma extensão com sci-fi e mistérios. Nestas é comum haver conspirações, seja para assassinar alguém, seja para esconder uma informação.

Um dos maiores lugares comuns neste tipo de entretenimento e também nos relatos que os alimentam, é a presença de homens de negro que fazem perguntas e alteram dados ou mesmo invalidam algumas respostas.

A série de TV mais emblemática é com certeza “Arquivo X”, mas mesmo séries atuais como “Lost”, “Flash Forward” e “Fringe” enveredam pelo ramo da conspiração e da organização com fins misteriosos que está controlando os fatos.

Nos quadrinhos temos os Homens de Negro da série Martin Mysterè da Sergio Bonelli Editore. A organização, vez por outra, confronta com o “detetive do impossível” tencionando ocultar alguma informação da humanidade. A justificativa é que, de posse da informação, a sociedade poderia deixar de valorizar alguns aspectos de nossa cultura, entre eles o capitalismo e as relações religiosas.

No Brasil Martin foi publicado pela RGE/Globo, Editora Record e Mythos Editora, mas atualmente não comparece às bancas.

Temos também o famosíssimo filme “Homens de Preto (MiB, Men in Black)” com Will Smith que dispensa apresentações. Poucos sabem que o filme é baseado em uma série de quadrinhos da Malibu Comics. A Malibu foi adquirida pela Marvel na metade dos anos 1.990 e nunca convenceu ninguém. Apesar disso, os dois filmes são excelentes comédias de ação e há também uma série de animação com conceitos visuais de Michelanxo Prado (já publicado no Brasil no excelente álbum “Vida de Cão” da Editora Abril, procure nos sebos).

Na cine-série há uma organização chamada Homens de Preto que oculta os registros da presença extra-terrestre na Terra e eventualmente enfrenta ameaças decorrentes desta ocultação ou da presença deles por aqui. Apesar do enorme sucesso dos filmes a Marvel não deu continuidade ao projeto. No Brasil o material ainda é inédito.

Há uma versão da série “X-Factor” onde investigadores do FBI (a la Irmãos Cara-de-Pau, ou seja, terno, chapéu e óculos escuros) unem-se aos mutantes para investigar um mistério. Série limitada, não foi publicada por aqui, mas deixa bem claro a presença de uma organização utilizando homens vestindo preto.

Nas séries de TV atuais temos duas em especial.

“Fringe” tem uma organização de pesquisa que está envolvida em todos os crimes e histórias sujas da trama, eventualmente se estendendo a todos os personagens da história.

Em “Lost” há duas, no mínimo. A “Dharma” que fez pesquisas na ilha e tudo indica que está desativada e a organização denominada “Os outros” – que surgiu da expressão “o inferno são os outros”. Os Outros é uma população que habita a ilha desde o período grego. Alguns deles aparentam serem imortais. Um deles foi expulso da ilha mística da série, e tem criado complexos planos para manipular seu retorno. Talvez ele tenha ligações diretas com a Dharma – pois as indiretas já ficaram provadas.

Fringe está exibindo sua segunda temporada e Lost no intervalo entre a quinta e sexta, sendo esta a última que terá apenas 17 episódios, sendo 2 na abertura, 13 semanais e 2 na conclusão. Lost retorna no início de fevereiro.

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…