Pular para o conteúdo principal

Elric de Melniboné Livro 1: A traição ao imperador


Em algum momento de 2013 Michael Moorcock anunciou em uma rede social que havia negociado quatro livros com uma editora brasileira. Especulou-se sobre a Leya ou a Saída de Emergência; a primeira pelo histórico com As crônicas de fogo e gelo de George R R Martin; a segunda por publicar em Portugal a série de Moorcock.

Não foi nenhuma destas. A Editora Generale – um selo da Editora Évorapublicou no fim da primavera de 2014 o primeiro dos livros: Elric de Melniboné, Livro Um: A traição ao imperador.

A edição reúne três contos publicados originalmente na revista Science Fantasy e posteriormente reunidos e reformatados para o formato livro – mas não chega a tanto, com apenas 182 páginas. Como anteriormente e detalhadamente me estendi sobre os contos (veja ou reveja em 1, 2 e 3) vou apenas a um rápido resumo.

Elric é o herdeiro do Trono de Rubi, mas ele e seu povo estão em decadência. Fraco fisicamente e dependente de drogas, Elric tem o amor de Cymoril e do amigo Dyvim Tvar, mas seu primo Yyrkoon deseja o trono e se aproveita de um ataque à cidade de Imrryr na Ilha do Dragão para traí-lo e ocupar o trono. Quando o plano falha, foge para reorganizar um novo ataque, levando junto a sua irmã e amada de Elric, Cymoril. Assim o último Imperador Feiticeiro de Melniboné decide ir ao seu encalço, percebendo que ambos estão sendo controlados por forças superiores.

Clique para ampliar e ler a mensagem de Moorcock em uma rede social

[Opinião]
A Generale fez uma belíssima edição em capa dura e com esplêndida capa. Fica-se ansioso para a próxima edição, programada para abril de 2015. O triste é que ao se concentrar em contos de Elric algo do vasto universo de Moorcock como O campeão eterno não será contemplado nesta série.

O texto de Moorcock, ainda vivo e se apresentando como um “anti-Tolkien” é crú, algo vezes imperfeito, talvez em função da mídia de nascimento: uma revista de contos. O autor constantemente retoca suas histórias, algumas de maneira imperceptível e com claro penhor financeiro. Seu Elric é um entretenimento rápido, dinâmico e a ambiguidade do personagem lembra o ser humano. Elric é nobre, mas indeciso, fraco, ambíguo e capaz de arrastar pessoas para sua tragédia pessoal. Ao ler o texto fica-se com a clara impressão que será a razão da queda de Melniboné e de sua dimensão – coisas que sabemos que ocorrerão dando ao fato que a trama original foi publicado nos anos 1.960.

Ainda que eu acompanhe as Chronicles of the Last Emperor of Melniboné, série da DelRey publicada a partir de 2.008, terei um enorme prazer de acompanhar também esta série nacional e torcer para que o arco Os Navegantes dos Marés do Destino e o conto O campeão eterno sejam publicados por aqui, o último sem Elric, mas essencial para entender o personagem como parte de algo maior.

Na torcida pelo sucesso.

Elric de Melniboné, Livro Um: A traição ao imperador, Michael Moorcock, ISBN 978-85-63993-96-0, tradução de Dario Chaves.


Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

O único animal, Luís Fernando Veríssimo

O homem é o único animal...
...que ri
...que chora
...que chora de rir
...que passa por outro e finge que não vê
...que fala mais do que papagaio
...que está sempre no cio
...que passa trote
...que passa calote
...que mata a distância
...que manda matar
...que esfola os outros e vende o pêlo
...que alimenta as crias, mas depois cobra com chantagem sentimental
...que faz o que gosta escondido e o que não gosta em público
...que leva meses aprendendo a andar
...que toma aula de canto
...que desafina
...que paga pra voar
...que pensa que é anfíbio e morre afogado
...que pensa que é bípede e tem problema de coluna
...que não tem rabo colorido, mas manda fazer
...que só muda de cor com produtos químicos ou de vergonha
...que tem que comprar antenas
...que bebe, fuma, usa óculos, fica careca, põe o dedo no nariz e gosta de ópera
...que faz boneco inflável de fêmea
...que não suporta o próprio cheiro
...que se veste
...que veste os outros
...que despe os outros
...que só lambe os outros
...que tem cotas de emigração
...qu…