Pular para o conteúdo principal

Doctor Who, Especial de Natal de 2008: The next Doctor

Desde que a TV Cultura passou a exibir a série Doctor Who os programas especiais, sejam de Natal, Páscoa, Outono ou Children in Need, ainda não entraram na grade de programação, permanecendo inéditos.

O 10º Doutor, David Tennant, protagonizou quatro especiais marcantes entre 2008-2010, sendo The next Doctor com David Morrissey o primeiro. Morrissey hoje é conhecido no Brasil por interpretar o Governador na série de TV The Walking Dead e consegue transmitir simpatia e confiança por sua interpretação tanto neste especial, quanto na série de zumbis preferida da TV.

Neste especial o Doutor chega em Londres na manhã de 24/12/1851, véspera de Natal, e imediatamente vê-se diante de um grito de socorro que demanda a presença do Doutor! Ao responder descobre outra pessoa atendendo ao pedido!

Seria ele sua próxima encarnação?!?

No primeiro momento somos levados a pensar que Morrissey seria o “próximo Doutor” do título e que ambos estão viajando no tempo, mas o fato de que este outro Doutor não se recorda da 10º encarnação – a princípio – deixa claro que talvez a trama seja mais complexa.

* * *

O desafio do episódio é impedir o renascimento dos Cybermen no ano 1.851. Nesta época os androides estão em conluio com Miss Hartigan (Dervla Kirwan) que se utiliza de uma fábrica onde trabalham crianças escravizadas roubadas de orfanatos londrinos. Apesar de agir com os Cybermen Miss Hartingan não pretende se tornar escravizada pelos robôs, que secretamente a querem tornar a Cyberking, líder da raça, mas igualmente sem vontade. A proposta dos vilões não é inovadora em conteúdo, basicamente destruir Londres e conquistar os escombros, assimilando as pessoas, mas é interessante pensar em um evento de alteração do passado não exatamente estranho à série (vide o final da 3ª temporada nos episódios Utopia, The Sounds of Drums e Last of the Time Lords).

Tanto Miss Hartingan, quando Jackson Lake (David Morrissey) a verdadeira identidade do “próximo Doutor” e Rosita Farisi (Velile Tshabalala), a companheira dele, estão bem convincentes, ainda que em algum momento deixemos escapar o pensamento de que uma fábrica com adultos escravizados seria mais útil ou que uma companheira negra no final do Século XIX não seria tão independente e expressiva.

Uma das curiosidades do episódio é apresentar os Shades ou Cybershade uma mistura entre cybermen e animais que consegue subir pelas paredes, conduzir carruagens e também convencer o telespectador de que é um produto de manipulação genética. Outra é a impagável sequência com um gigantesco Cybermen com visual steampunk, que não fica devendo nada aos futuros Gojira da vida. Que Deus salve Londres!

Escrito por Russell T Davies e dirigido por Andy Goddard este especial brinca com o conhecimento que o telespectador e fã tem da série, afinal apontar quem seria o próximo Doutor antes do fim do contrato do Doutor atual seria algo sensacional e inédito.

* * *

No fim a grande lição que fica é que a mente humana é capaz de acreditar em qualquer coisa, desde que isto lhe traga conforto.

Especiais de Doctor Who (2005-13)
Data
Título
18/11/2005
Doctor Who: Children in Need
25/12/2005
The Christmas Invasion
25/12/2006
The Runaway Bride
16/11/2007
Children in Need Special: Time Crash
25/12/2007
Voyage of the Damned
25/12/2008
Christmas Special: The next Doctor
11/04/2009
Easter Special: Planet of the Dead
15/11/2009
Autumn Special: The Waters of Mars
25/12/2009
e
01/01/2010
Christmas Special: The End of Time, part I
New Year's Special: The End of Time, part II
25/12/2010
Christmas Special: A Christmas Carol
25/12/2011
Christmas Special: The Doctor, the Widow and the Wardrobe
25/12/2012
Christmas Special: The Snowmen
23/11/2013
50th Anniversary Special
25/12/2013
Christmas Special, 2013
















Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…