Pular para o conteúdo principal

Os Vingadores vs O Zodíaco: Sob o signo da morte


(ou Os Vingadores: Mântis, parte I)

Em The Avengers #114 (1973) publicada em Heróis da TV #65, Vanda tem problemas de aceitação pública depois que revela seu romance com Visão – “além de ser mutante transa com um robô”, diz um operário da construção civil. O comentário leva a uma discussão, que leva a uma briga e a vingadora é “resgatada” por Mântis, seguida não de muito longe pelo amante Espadachim.
 
Aproveitando a ajuda, eles desejam integrar-se aos Vingadores. Desconfiados a princípio, os heróis confiam na dupla e são traídos, quando os dois trazem o Deus Leão para a Mansão!
Mas tudo fica esclarecido quando a dupla trai o Deus Leão, revelando suas verdadeiras intenções.
Introduzido o duo que irá colaborar com a equipe durante a Guerra Vingadores/Defensores – sim, em inglês o encadernado chama-se The Avengers/Defenders War – temos o confronto com o Zodíaco, um time de vilões onde cada membro representa um signo zodiacal. Os vilões aparecem pouco na cronologia da equipe, mas já vi uma história com o Top Ten Villains que põe o grupo no rol das grandes ameaça aos Vingadores.
A trama vai de The Avengers #120-124 naquele estilo próprio de narrativa do Steve Englehart, ou seja, a trama vai e vem, enquanto ele, na verdade queria era narrar a aventura/história de Mantis.
Então vamos lá. Gêmeos é libertado para formar o Zodíaco, que pretende matar todos os geminianos de Manhattan com uma arma estelar. Espadachim cai doente graças aos ferimentos da época do ataque do Deus Leão, agravados durante a Guerra Vingadores/Defensores.
O Zodíaco derrota os Vingadores! Mas em seguida os heróis atacam o grupo de criminosos destruindo sua arma (montado no topo do World Trade Center), terminando uma edição com Mantis em risco de vida, projetando mais atenção para a personagem.
O Zodíaco se divide contra a liderança de Touro, e Áries lidera alguns descontentes a conversarem com Cornelius Van Lunt, o financiador da equipe de criminosos. Por sinal, velho desafeto dos heróis. Os Vingadores espreitam e juntos com os rebeldes caem em uma armadilha de Van Lunt, que é na verdade o Touro! Então na edição #122 os Vingadores unem-se temporariamente aos rebeldes do Zodíaco.
Libra traí o grupo criminoso! Qual a razão?
Mântis demonstra seu interesse especial pelo Visão, causando ciúmes no Espadachim. Observe que Englehart vinha de uma cartilha de projeção ao estranho. Houve um leve flerte entre Feiticeira Escarlate e Gavião Arqueiro quando a moça ainda tinha dúvidas sobre seu sentimento sobre o sintozoide. Agora o Espadachim – um substituto genérico para o Gavião – também é apaixonado por uma mulher que tem uma queda pelo homem artificial da equipe.
Em um novo confronto entre Vingadores e Zodíaco, Touro cai em uma piscina, mas Visão recusa-se a salvá-lo por medo! Medo de quê? Logo ele tão frio e racional!
Libra revela que Mântis é sua filha, razão de sua traição. Veja que há todos os elementos de uma novela mexicana, além da presença de um herói estranho e nobre que age me maneira não tão adequada!
Na edição #123, Libra revela sua origem à sua filha. Ele, soldado na Guerra do Vietnã teve uma filha com Lua, uma vietnamita, mas o romance não era aprovado por Khruul, irmão da moça e chefão do submundo local. Melhor! Novela mexicana perde longe!
Khruul mata a mãe de Mântis e cega seu pai com requintes de crueldade. O soldado foge para a selva com a criança, sendo encontrado pelos Monges de Pama (mais uma seita secreta e misteriosa do universo Marvel) que o treinam para viver nas sombras e a menina para um destino especial.

Qual?
Espadachim vai à Saigon vingar-se de Khruul, seu ex-empregador, mas acaba torturado e revela a origem de Mantis. Veja bem que Espadachim doente e ferido consegue fugir enquanto Mantis dá uma surra nos Vingadores, inclusos ai heróis do naipe de Visão e Thor!
De posse da informação, Khruul dizima o templo dos monges, mas é assassinado por um misterioso Caçador das Estrelas.
Na edição # 124 Inédito no Brasil, pois houve um atraso de envio de originais da Marvel americana para a Abril e Avengers # 124 e 129 e Avengers Giant Size # 1 nunca foram editados por aqui, mas como eram fundamentais para a trama tiveram um pequeno resumo em uma seção de correspondência de Heróis da TV – O Caçador das Estrelas confronta os Vingadores, mas os conhecimentos dos Monges de Pama, que foram treinados pelos Pacifistas, uma divisão dos krees que já havia enfrentado o Caçador, surgem na mente de Mântis e ela fornece informações que permitem a derrota do vilão.
Viva!
Assim terminamos a primeira parte do imbróglio Vingadores/Mantis onde impedimos um plano do Zodíaco, que tem entre seus membros Libra, pai de Mantis que foi treinada para um destino especial, por uma seita que teve um contato com a cultura kree e por isso foi exterminada por um alienígena que odiava a raça.
Qual o destino especial de Mantis?
A resposta eu darei daqui há alguns posts.
Texto Steve Englehart, lápis de Bob Brown (# 114, # 120, # 122-123) e John Buscema (# 121), finais de Don Heck (# 120-121, #123) e Mike Esposito ( # 114, # 122).








 















Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…