Pular para o conteúdo principal

Game of Thrones [2x07] – A man without honor



Exibido em estreia mundial em 13 de maio de 2012, este é o sétimo episódio da segunda temporada da série de TV Game of Thrones que adapta o 2º livro de As Crônicas de Gelo & Fogo de George R R Martin, chamado A fúria dos reis.

A Rainha Regente Cersei Lannister envia a resposta à Robb Stark, informando-lhe que não aceitará suas exigências. O retorno do primo irá dar condições de uma primeira fuga a Jaime Lannister – o homem sem honra do título, mas no episódio há pelo menos mais uns dois. Preso, Jaime se torna razão de disputa entre os nortenhos por ter assassinado um Karstark na fuga. Mas terá uma segunda oportunidade oferecida por Catelyn Stark que o libertará e o enviará para Porto Real com Brienne de Tarth, na condição de que libertem suas duas filhas – ação que só se confirmará no episódio seguinte.

Neste ínterim, Robb continua a ter boas vitórias, mas vê-se em cheque agora que os Greyjoy dominaram Winterfell. Isto não impede que ele se enamore por uma nobre, mesmo sendo prometido à casa dos Frey.

Theon Greyjoy persegue os meninos Stark, Bran e Rickon, o gigante Hodor e a selvagem Osha, sem sucesso. Ao se aproximar de uma fazenda por onde eles passaram, a narrativa sugere que Theon os capturou, espancou, queimou, passou piche e exibe o corpo das duas crianças mutiladas em frente à Winterfell.

Sela então seu destino como covarde assassino de crianças!

Jon Snow, incapaz de matar Ygritte é capturado pelos homens livres de Mance Ryder.

Em vários diálogos fica-se com a impressão que Tywin Lannister, ainda em Harrenhal, sabe a verdadeira origem de Arya. É ilusão do telespectador. Ele acredita que ela é de origem nobre, mas não tem ideia que seja Arya Stark, o quê seria uma excelente moeda de barganha na Guerra dos Cinco Reis.

Daenerys se depara com um plano dos Imortais e de seu “amigo” Xaros para o domínio de Qarth, passando, é claro pelo controle de seus dragões. Poderá ela inverter a situação?

Sansa Stark torna-se moça e assim está pronta para o casamento com Joffrey Baratheon, o homem que matou seu pai.

Tyrion Lannister, a Mão do Rei, enquanto seu pai Tywin, está na guerra, avisa à Cersei, que a frota de Stannis Baratheon se aproxima de Porto Real com 200 embarcações!

Está próxima a Batalha de Blackwater!








































Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…