Pular para o conteúdo principal

Game of thrones [2x02] – The Night Lands

Neste segundo episódio, com estreia mundial em 08 de abril de 2.012, mas que já havia vazado na Internet através do site HBO Go, começamos a ter uma unidade na trama e as sequências passam a alternar-se, ainda que Tyrion, na corte, centralize uma série de narrativas equivalentes dos livros. Cersei, Sansa e o jovem Lannister são personagens narradores nos livros. Na série de TV a responsabilidade destes três personagens é concentrado apenas em Tyrion, o que o torna ainda mais simpático ao público, a personificação da antítese do herói.

Arya indo para a Muralha – e talvez Winterfell – continua a esconder sua condição de menina e quando os cavaleiros do manto dourado aproximam-se, fica surpresa por estarem em busca do amigo Gendry – sem que ninguém saiba que a perseguição se deve em função do ferreiro ser um dos bastardos de Robert Baratheon.

Tyrion não fica nada satisfeito com o fato de que sua amante está fazendo amizade com Varys e decide “escondê-la à vista de todos”. No Conselho, o pedido de Mormont (Lorde Comandante da Patrulha da Noite) por mais homens é solenemente ignorado, apesar de Tyrion atestar a honestidade do Comandante. Isto não impede que o simpático duende envie sir Janus para a Muralha, temendo uma traição como sofreu Ned Stark. Sutilmente a trama do desafeto de Jon Snow que segue para porte real com uma mão numa garrafa, fruto do ataque na temporada anterior desaparece. Ele ficaria meses em Porto Real aguardando um encontro sempre protelado pela Mão do Rei e quando o encontro finalmente ocorre nada tem para exibir além de uma mão completamente decomposta e já sem nenhum movimento. Mas isto é na versão do livro.

No acampamento de Craster, uma de suas esposas, a Goiva, pede o auxílio de Sam para proteger seu bebê caso seja um menino. Sam leva o caso à Jon Snow que dá atenção, mas Goiva se recusa a revelar tudo. Snow fica mais interessado, já que desde o início achava estranho a falta de meninos. À noite assiste Craster entregar o bebê a uma criatura mística, pouco antes de ser descoberto e capturado.

Um dos mensageiros de Daenerys retorna decapitado e o khalasar está à beira da extinção pela fome.

Theon Greyjoy retorna à Pyke para descobrir que não é bem vindo e que sua irmã conquistou seu lugar no coração de seu pai, e que estes não confiam nele, acreditando que ele foi domesticado pelos Stark de Winterfell.

A mando de Stannis Baratheon, Davos Seaworth consegue o apoio de um poderoso contrabandista para preparar o ataque à Porto Real. Melissandre, para ter substância para suas magias transa com Stannis simbolicamente em cima de uma mesa esculpida no formato do mapa de Westeros.

[Crítica]
Apesar de ainda ter o problema do episódio anterior (apenas uma sequência para alguns personagens) este segundo episódio consegue dar uma estrutura para a trama bem fácil de ser visualizada, mas os erros grosseiros de tradução da HBO tomam um pouco da paciência.

Enquanto alguma cenas conseguem ser fieis ao texto, mesmo com a alteração do nome da irmã de Theon, algumas passagens como a trama do sobrinho de Stannis que Melissandre deseja para um sacrifício, são eliminadas da trama e adaptadas com outros fins.

Mas tudo vem a somar para a série em sua versão na TV e torná-lo um excelente show.























Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…