Pular para o conteúdo principal

Lançamentos: DC +Aventura #04


Sou profundamente ligado à Liga da Justiça. Foi o primeiro grupo de heróis que vi num outro formato na série de TV Superamigos e trazia uma série de personagens que individualmente eu gosto e me importo com seus destinos. O ponto de partida do escritor é fazer o leitor se importar com os personagens. A equipe sempre me fisgou.

No Brasil há lacunas enormes entre o material que a EBAL publicou em Os Justiceiros e o material que a Editora Abril começou a traduzir em Batman – 1ª série, algo que com o lento andamento da boa série Crises em Múltiplas Terras, com apenas uma edição traduzida em uma desnecessário e encarecedora capa-dura, não permitirá ver amostras de vários períodos breve. Desde a Abril, publicou-se boas histórias de Gerry Conway & George Pérez, JM DeMatteis & Luke McDonnell, DeMatteis, Keith Giffen & Kevin Maguire, Dan Jurgens, Grant Morrison & Howard Porter, Mark Waid & Bryan Hitch, entre outros.

Esta edição marca um momento logo após Crise Infinita quando o Universo DC estava reorganizando-se e corrigindo novamente algumas cronologias. A fase de Brad Meltzer à frente da equipe não é a minha preferida (que é Gerry Conway/George Pérez no início dos anos 1980), mas certamente esta edição 0 (zero) é um acerto e gratificante de ser lida. Ela trata de uma série de encontros entre Batman, Mulher Maravilha e Superman ao longo dos anos, de modo a estabelecer uma cronologia para a equipe e para o futuro.

A Panini admite que a Liga da Justiça é uma peça chave no relançamento da DC Comics – em Os Novos 52 – e fico imaginando por que a editora não expande os lançamentos da linha de R$ 1,99 para englobar o novo status da editora. Seria uma alternativa interessante para testar a aderência de alguns títulos.

De qualquer modo esta edição de DC +Aventura é bem superior às apresentadas até então. Não custa sugerir as edições Superman #666 e Batman #666, excelentes histórias auto-contidas para os próximos lançamentos.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!