Pular para o conteúdo principal

Viagens Extraordinárias: Viagem ao Centro da Terra

Lançado em 1.864, este romance de aventura infanto-juvenil de Jules Vernes, o translado Júlio Verne, é uma emociante narrativa de como o geólogo dr. Otto Lidenbrock e seu jovem sobrinho, Axel, após encontrarem um escrito de comprovação científica duvidosa do sábio Arne Saknussemm, iniciam uma viagem ao centro da Terra, seguindo pelo pelo vulcão inativo Sneffels na Islândia, com o auxílio do nativo Hans, um experiente caçador.

Como cientista Lidenbrock gostaria de comprovar os enganos da teoria de um fogo que arde no centro do planeta – coisa, por sinal, que não cai por completo.

Talvez temendo perder qualquer base científica, Verne, não nos presenteia com toda uma civilização subterrânea, mas sim, com rápidos lampejos de animais anti-diluvianos, especialmente aquáticos, e um rápido vislumbre de um ser humano ancestral vivo; ainda que tenha encontrado muitos cadáveres mumificados.

Para o fã de quadrinhos, percebe-se facilmente o livro como fonte de inspiração para Mike Grell, criador de Warlord (o Guerreiro, no Brasil, publicado no século passado pela EBAL e Abril). Além do descontrole de uma bússola, do fato de adentrar um buraco no globo e encontrar uma civilização e iluminação própria não baseada na estrela mãe, a localização da entrada para a aventura no vulcão Sneffels é uma sombra projetada pela montanha Skartaris – nome da Terra fantástica criada por Grell. Haja sutileza!

O romance, recém disponível no Brasil em edições portuguesas da RBA encontradas em banca com a clássica capa que sintetiza numa só ilustração todas as Viagens Extraordinárias é um acerto para o público que encontra as primeiras letras: não tem violência, não há palavrões, não há menção a sexo e entusiasma o leitor de qualquer idade. Eu, aos 36 anos, li a edição de 268 páginas praticamente num fôlego só.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!