Pular para o conteúdo principal

Reboots, 2

Estamos em 2.011 e já faz 24 anos do último reboot geral da DC Comics. Sabemos que na maioria das narrativas o evento funcionou e permitiu a criação de personagens fortes. Mas também sabemos que a editora fez uma série de pequenos reboots neste espaço de tempo. Não apenas o arco Zero Hora, que pretendia ser um reboot em 1.994, apenas sete anos e meio depois de Crise, mas uma série de contratações de autores que levavam personagens a novos caminhos.

A cada geração de autores, cada equipe “esquece” o que aconteceu com o personagem na geração anterior e decide o quê funciona ou não.

Em função de licenciamento a editora deu espaço para eventos como o Casamento do Superman e Lois Lane, relacionado com o casamento dos mesmos personagens na série de TV Lois & Clark: The new adventures of Superman. Em função de reconhecimento a DC Comics pediu aos seus autores que aproximassem novamente o conteúdo dos quadrinhos do conteúdo da série de TV Smallville, com foco na conturbada relação Kent & Luthor na adolescente na pequena cidade de Smallville.

Nos anos 1.950 quando foi criado o personagem Superboy, criou-se uma história em que Lex viveu um período em na cidade natal do adolescente de aço. Anos depois a história virou nota de rodapé, quando os autores John Byrne & Marv Wolfman criaram sua versão inspirada no filme de 1.978: Luthor era um empresário que se corrompeu.

Note a troca de energias entre séries de TV, filmes e séries animadas e os quadrinhos. Nenhum tem uma versão definitiva e minha mãe, que me introduziu nos quadrinhos quando criança, tinha uma máxima para quando eu vinha com uma complexa explicação sobre um acontecimento “papel aceita tudo, inclusive merda”.

No fim é isto: os editores tem que continuar a manter o interesse em seus personagens e serem contemporâneos facilita bastante.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!