Pular para o conteúdo principal

Game of Thrones [1x10] – Fire and blood

Arya é resgatada por Yoren e levada para o norte, após ter o cabelo cortado de maneira a lembrar ser um menino. Não sabe que seguirá para o norte (a Muralha?) com um dos bastardos de Robert Baratheon, Gendry, o mesmo que seu pai encontrou no ferreiro. Não fica clara as intenções de Yoren para com ela e se ele a entregará em Winterfell quando aproximar-se do protetorado.

A família Stark descobre o ocorrido. Robb é então eleito o rei do norte. Veja que há uma diferença. Ele não é clamado rei dos sete reinos, mas apenas rei do norte. Stannis e Renly Baratheon se proclamam reis mas não há imagens deles. Stannis, por sinal, não aparece na temporada. Jaime Lannister ainda está acorrentado no campo de Robb e confessa à Catylin que empurrou Bran para a morte, mas não o motivo.

Bran está tendo visões mais fortes, e vê o pai morto. No livro é o garoto o personagem que recebe os avisos sobre o ataque dos caminhantes brancos.

Joffrey está enlouquecido, lembrando os Targaryen. Corta a língua de um cantor popular que compôs uma canção jocosa, o quê significa também que já tem uma rede de espiões para informar-lhe dos acontecimentos. Brinca com os sentimentos de Sansa e mostra-lhe as cabeças de seu pai (!) e da septã que cuidava da moça! Avisa-a que assim que ela estiver pronta irá casar-se e ter um filho com ela!

Sansa pensa em atirar-se com ele para a morte, mas não consegue realizar o intento... dessa vez! É algo sutil. Não pense numa cena brusca. Ela vê a oportunidade e ninguém mais, mas não consegue realizar o intento.

Tywin Lannister reconhece o valor de seu filho, Tyrion, que previu a ação de Robb Stark e ordena que ele siga para Porto Real para ser a Mão do Rei (na série não há nenhuma passagem sobre a reação de Joffrey ou Cersei à indicação). Tywin foi a mão do Reino por vinte anos antes de Jon Arryn.

A bruxa confessa à Daenerys que foi responsável pela infecção de Drogo e pelo estado atual. Com o khalasar disperso, a khaleesi espera uma última noite para que seu khal retorne, pois perdeu também o bebê. A bruxa sugere ter feito o parto de um ser monstruoso, quase um dragão.

Drogo vive mas está num coma perpétuo. A princesa decide poupar-lhe sofrimento. Em seguida acende uma fogueira e dá ao amado um funeral viking, amarrando a bruxa à pira, pouco antes de entrar nas chamas com os pertences do falecido.

Jon Snow ao saber da morte do pai tenta fugir da Muralha, mas retorna graças à honra dos amigos. Sabendo das intenções do garoto, Mormont não o culpa e no dia seguinte o escala para uma equipe que adentrar a passagem para o extremo norte e encontrar pistas de Benjen Stark, sumido há muito. Bem, se não é possível auxiliar a antiga família... ao menos a nova.

Daenerys entra nas chamas da pira funerária e ao amanhecer surge das cinzas com trẽs dragões chocados – os ovos ela recebeu de presente de casamento no início da temporada. Inicia aí seu próprio khalasar.























Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…