Pular para o conteúdo principal

Lançamentos: Universo DC #10

Toda semana chega às bancas uma tonelada de edições novas e geralmente oferecem pouco ao leitor.

Universo DC é assim.

De excelente tem Legado parte 2 de 10, com o segundo número voltado para a Era de Ouro (DC Universe: Legacies #02) por Len Wein, Andy Kubert e Joe Kubert.

A série continua sua missão nada simples de construir uma linha narrativa da história da DC Comics na Terra principal da editora. É um trabalho hercúleo e Wein segue à risca o exemplo de Kurt Busiek em Marvels: cria um personagem para que nos identifiquemos e vemos o surgimento do universo de heróis sob a visão dele. Não é novidade, mas funciona e bem.

De bom tem Supergirl #50 por Sterling Gates, Jamal Igle e Jon Sibal & Mark McKenna, que mostra o final da longa trama com Lana Lang – ela estaria com câncer – e o ataque da Rainha dos Insetos, uma personagem clássica com nova roupagem. Infelizmente marca também o retorno da Superwoman, mostrando que sempre poderemos ver o confronto entre a super-moça e a super-mulher, como se isto fosse desejável.

Se resto a edição traz World’s Finest #02 (por Gates, Ramon F. Bachs e Rodney Ramos) com a união de Guardião e do atual Robin (Damian Head Wayne), Wonder Woman #42 (por Gail Simone, Nicola Soctt & Fernando Dagnino e Doug Hazlewood) com uma trama que faz referência a uma ameaça alienígena e reconstrução do Departamento de Assunto Meta-Humanos e à vinda da tal ameaça para a Terra. Segue então para Superman/Batman #68 (de Joe Casey, Ardian Syaf e Vicente Cifuentes & David Enebral) que continua apresentando história em outro momento cronológico já que no atual momento Superman está em Novo Krypton e Batman está “desaparecido, provavelmente morto”.

Nos destaques do mês – lá na última página – o anúncio da edição especial de Sociedade da Justiça (anunciando os dois arcos de Bill Willingham), o anúncio de mais um releitura para a origem de Coringa em Batman Anual #03 (para quê? “O homem que ri” é perfeita!) e que Liga da Justiça a partir do número 101 terá 148 páginas e trará Flash (a atual série mensal), a minissérie A ascensão de Arsenal (trazendo as consequência dos atos de Prometeus para Roy Harper), LJA: Geração Perdida e é claro o cross-over Liga da Justiça/Sociedade da Justiça de 2010.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

A Saga do Quarto Mundo: Novos Deuses, volume 1 e 2

Ponto central a Saga do Quarto Mundo em New Gods (Novos Deuses em português) temos as aventuras de Orion sozinho ou auxiliado por Magtron e humanos. A parceria entre um deus e humanos seria evocada novamente em Os Eternos (1.976-78) do mesmo Jack Kirby. Em ambas as séries, após a parceria inicial os humanos seriam abandonados.

Aqui a macro-trama é que na Terra o deus maligno Darkseid tem pistas de uma fórmula chamada equação anti-vida ao qual deseja com objetivos próprios. Orion, filho de Darkseid mas criado pelo benigno Pai Celestial, é o nêmese de seu pai e está destinado a matá-lo.

Além de New Gods a Saga do Quarto Mundo foi publicada nos primeiros volumes das séries Mr Miracle (Senhor Milagre), Forever People (Povo da Eternidade) e Superman Pal's Jimmy Olsen (a única que não foi criação original de Kirby).

Originalmente New Gods foi publicada em série bimestral com onze números (março de 1972- novembro de 1972).

Em 1984 a DC Comics re-editou a série original em The New Gods,…