Pular para o conteúdo principal

Foundation: The Legion vs Darkseid

O arco Foundations e celebra os 45 anos da Legião dos Super-Heróis – lembre-se que a história foi publicada sete anos atrás – e retorna com um personagem que é muito importante para a equipe: Darkseid. O arco se estende da edição #25 a 30 (dez de 2.003 a abril de 2.004)

Darkseid é um personagem criado em 1.971 por Jack Kirby para uma série chamada Quarto Mundo. Originalmente criado às bordas do Universo DC (DCU), Darkseid foi incorporado ao universo tradicional da editora e tornou-se vilão de vários eventos em quadrinhos (Lendas, Guerra dos Deuses, Gênese, Crise Final) ou de TV (Superamigos, Liga da Justiça sem Limites e Smallville).

No início dos anos 1.980 a equipe confrontou o vilão ainda vivo no século XXX na emblemática história A saga das trevas eternas uma das histórias épicas que marcaram uma das retomadas da DC Comics como editora de importância – já que desde o DC Implosion a companhiavinha perdendo o espaço para sua histórica rival.

Escrita por Dan Abnett & Andy Lanning, com lápis de Chris Batista e finais de Robin Riggs, Chip Wallace e Doug Hazlewood, a primeira edição tem várias passagens com arte de convidados como Eric Wight, Tony Harris & Tom Feister, Dave Cockrum & Al Milgrom e Paul Rivoche.

Está sendo celebrado o dia da Fundação e a equipe está homenageando a memória de Live Wire, recebendo novos recrutas – inclusive um de Robotica chamado Babbage -, corrigindo um portal estelar – como Kid Quantum consegue um encontra com Cosmic Boy – e exorcizando os fantasmas das memórias de Element Lad – veja Legion Lost.

A presidente dos Planeta Unidos enquanto fiscaliza a missão da Legião no portal estelar encontra o Superboy no espaço!

Ao visitar o cristal de memória que homenageia Element Lad Cosmic Boy e Saturn Girl encontram o cristal destruído e Garth Ranzz – o Live Wire, tido como morto! - ocupando um corpo semelhante ao de Element Lad!

Uma das histórias curtas mostram os fundadores da Legião (Cosmic Boy, Saturn Girl e Live Wire) indo ao passado e convidando Clark Kent para vir ao XXXI. Ao chegarem transformam-se em parademônios – ou novos deuses do mal – em Apokolips!

Depois de tantas informações o básico: Darkseid, um deus velho e quase um mito, decide criar uma condição específica para trazer uma versão mais jovem de si para o presente. O objetivo é que sua consciência experiente ocupe o corpo jovem e inicie um plano de domínio. Para auxiliá-lo usa servos de vários momentos históricos – servos convertidos e não clones como na saga original, daí o sequestro de Clark Kent.

Não pense na história como uma versão da clássica Saga das trevas eternas, por que não é.

Esta Legião dos Super-Heróis (conhecida como Legião reboot) ainda não tinha encontrado o novo deus do mal, mas a história tem um tom de segundo confronto. Juntando o melhor do passado com o melhor do presente de então o arco tem qualidade além do simples fato de ser uma releitura de uma história de vinte anos antes.

Além do retorno de Darkseid temos interessantes sub-plots. O Superboy que é encontrado no espaço é o clone surgido durante os eventos de A morte do Superman – aqui.

Naquele momento da cronologia o personagem que já esteve vinculado à série de quadrinhos Justiça Jovem estava ligado à série Turma Titã (Teen Titans volume 2). Veja aqui a adaptação para a animação de TV do surgimento da Justiça Jovem.

Kon-El (o nome “kryptoniano” do clone) não é como o personagem clássico. Ele é arrogante, inexperiente e metido. Em diversos momentos entra em choque com a Legião, especialmente com Cosmic Boy. Como seu resgate é público, em vários momentos ele se aproveita da fama histórica do Superman.

É ele e outros três “rejeitados” temporariamente que fazem a diferença no ataque à Darkseid. São eles: Violet, havia sido ferida num confronto anterior com os servos das trevas; Kid Quantum, líder da equipe, começou a ter falhas no seus poderes quânticos em função da manipulação do espaço-tempo que o inexperiente Darkseid estava fazendo para trazer o jovem Darkseid do passado; e Live Wire, ocupando o corpo de Element Lad e com os poderes do colega, muitos não acreditavam muito na história de “reencarnação” no corpo do assassino; o mais provável era que Element, com culpa de seus atos descontrolados tivesse criado uma personalidade.

Outra passagem bem bolada é a solução do sequestro de Clark Kent. Clark consegue vencer a lavagem cerebral de Darkseid e alia-se à equipe do futuro, sem, em nenhum momento ter informações do por quê havia sido seqüestrado e qual sua importância histórica. Nota-se claramente o contraponto entre as personalidades de Kal-El e Kon-El.

Um arco divertido e cheio de ação e grandes batalhas. Vale a pena.
















Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!