Pular para o conteúdo principal

A Infinita Saga do Infinito, Parte VII: E com vocês... Warlock, Parte III

Mas dois anos depois a série de Warlock já não ia bem das pernas e Jim Starlin recebe dois anuais de 1977 para encerrar a trama do herói cósmico com chave de ouro: The Avengers Annual # 07 e Marvel Two-In-One Annual # 02, publicados originalmente no Brasil no clássico Grandes Heróis Marvel # 01, Editora Abril.

Um chamado cósmico reúne os Vingadores Capitão América, Fera, Thor, Visão, Feiticeira Escarlate, Homem-de-Ferro, Serpente da Lua e Capitão Marvel (Mar-Vell). Une-se a eles Adam Warlock que jura vingança a Thanos que tomou posse de 5 jóias espirituais e absorveu energias da jóia de Warlock enquanto auxiliava-o contra Magus.

Com uma gigantesca jóia sintética, Thanos deseja oferecer à sua amada a destruição de todas as estrelas do firmamento! O genocídio cósmico!

Os heróis invadem a nave de Thanos e numa batalha com o titã Warlock morre, tendo sua alma absorvida pela jóia espiritual com ele próprio vindo do passado no momento em que limpou sua trilha do destino – 2 anos antes.

Thor e Homem de Ferro destroem a jóia sintética e Thanos foge.

Em Marvel Two-In-One Annual # 02, o anual do título de encontros do Coisa, Homem-Aranha (que também tinha um título de encontros mas era chamado de Marvel Team-Up) tem visões de que Thanos tomou posse da jóia espiritual de Warlock momentos depois de sua fuga e pretende satisfazer seu amor com a destruição do nosso Sol!

Sendo manipulado por Mestre Ordem e Lorde Caos, Ben Grimm, o Coisa e Homem-Aranha vão ao espaço e envolvem-se na trama, libertando os heróis para um grande confronto contra o nosso astro principal.

Diante da derrota dos heróis, o Aranha é manipulado e liberta Adam da jóia apenas para transformar Thanos em uma estátua e retornar para seu descanso no mundo utópico dentro da jóia.
Thanos estava novamente derrotado e muitas primaveras transcorreriam antes que ele voltasse.
Neste meio tempo Jim Starlin fez Dreadstar um personagem cujos direitos pertencem ao seu criador, e certamente influenciou toda uma geração, para o selo Epic e abandonou a editora indo para a First com seu personagem, não antes de matar o Capitão Marvel na primeira graphic novel da Marvel (que está merecendo uma republicação no Brasil, ouviu Panini Comics?).

Starlin trabalhou na DC Comics em Batman, the new adventures (como era chamada a série Batman então) logo após a reformulação em 1986, feita por Frank Miller. O artista desta fase foi Jim Aparo.

Neste período produziria entre outros As Dez Noites da Besta e A Morte de Robin. Fez também a saga da Aparição (uma minissérie chamada The Wright) que uniu Superman e a Liga da Justiça, na fase de transição para Internacional, e Batman – O Messias.

Destaca-se deste período a excelente minissérie Odisséia Cósmica com arte de Mike Mignola.

A morte de Robin e Odisséia Cósmica já foram republicadas pela Panini Comics.

Na Marvel, Warlock, Capitão Marvel e Thanos continuavam mortos, mas um velho conhecido dos leitores ganhava sua terceira série, Surfista Prateado.

Mas isso é um longo assunto...

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…