Pular para o conteúdo principal

A última grande história

Preço e qualidade estão intimamente ligados.

Ainda que o arco “Novo Krypton” e suas conseqüências seja razoavelmente bom, o tamanho e o capital que tenho que investir para ler a história diminuem o interesse, ou simplesmente tornam a história cara.

Às vezes algo funciona bem na história. Às vezes não. Enquanto parece-me interessante ver o destino de Kal-El em Novo Krypton, não tenho o mesmo interesse em ver uma versão de Bonnie & Clyde kryptonianos como foi mostrado na última edição nacional de Superman.

A DC e a Marvel às vezes perdem muito com o tamanho e as proporções que as coisas tomam. Claro que tudo isso é intencional, feito visando-se única e exclusivamente o lucro e a exploração das possibilidades até a última gota.

Assim, acho que a última grande história de li foi em maio de 2005 – já faz cinco anos! – quando comprei a edição original de “Contagem Regressiva para Crise Infinita” uma edição de 80 páginas de história a US $ 0,80 (oitenta centavos de dólar) escrita por Geoff Johns, Greg Rucka e Judd Winick, com arte de Rags Morales/Michael Bair; Ed Benes; Jesus Saiz/Jimmy Palmiotti; Ivan Reis/Marc Campos e Phil Jimenez/Andy Lanning.

Na trama auto-conclusa, Besouro Azul II (Ted Kord) descobre que alguém está usando a sua empresa de tecnologia para lavagem de dinheiro e, eventualmente isto poderá levá-lo à falência. Ao tentar avisar amigos como Maxwell Lord, Bárbara Gordon e Bruce Wayne, recebe portas fechadas, mas sua ânsia da verdade o leva a descobrir um gigantesco plano para destruir os heróis do Universo DC com extensões para vários eventos da editora naquele ano.

Ao descobrir quem estava por trás, Ted faz o sacrifício máximo para destruir parte da informação que o vilão coletou. A morte do herói é sentida até hoje e mesmo com o retorno de 12 personagens (veja aqui) a DC Comics decidiu que ele morreu de forma heróica e não irá retornar – pelo menos, não agora.

Feita por excelentes roteiristas – hum... talvez o Winick não seja, mas... paciência – e tão bons artistas quanto, a história foi a última vez que li algo com início, meio e fim numa única edição (mas era de 80 páginas, é bom lembrar) que realmente valeu a pena.

É nestes momentos que penso que juntar eventuais 8 edições (24 páginas x 8 edições = 192 páginas) numa edição única de 100 ou 120 páginas poderia fazer surgir algo renovador e não pingos de ação entre splash pages como foi Invasão Secreta da Marvel.

Claro que para a editora é mais interessante a exposição permanente do que uma única exposição, argumento usado inclusive por Joe Quesada quando houve o anúncio do formato graphic novel para um novo selo da DC Comics.

De qualquer, se encontrar por aí a versão nacional de “Contagem Regressiva para a Crise Infinita” compre sem medo.

Vale cada centavo e você não precisará ler nada mais para entender a trama, ainda que dentro dela estejam inseridos diálogos, acontecimentos e fatos que extrapolam a última aventura de Besouro Azul.

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

O único animal, Luís Fernando Veríssimo

O homem é o único animal...
...que ri
...que chora
...que chora de rir
...que passa por outro e finge que não vê
...que fala mais do que papagaio
...que está sempre no cio
...que passa trote
...que passa calote
...que mata a distância
...que manda matar
...que esfola os outros e vende o pêlo
...que alimenta as crias, mas depois cobra com chantagem sentimental
...que faz o que gosta escondido e o que não gosta em público
...que leva meses aprendendo a andar
...que toma aula de canto
...que desafina
...que paga pra voar
...que pensa que é anfíbio e morre afogado
...que pensa que é bípede e tem problema de coluna
...que não tem rabo colorido, mas manda fazer
...que só muda de cor com produtos químicos ou de vergonha
...que tem que comprar antenas
...que bebe, fuma, usa óculos, fica careca, põe o dedo no nariz e gosta de ópera
...que faz boneco inflável de fêmea
...que não suporta o próprio cheiro
...que se veste
...que veste os outros
...que despe os outros
...que só lambe os outros
...que tem cotas de emigração
...qu…