Pular para o conteúdo principal

Robin – volume I, mini-série


Robin v1 # 01 (1991)/Robin # 01, Mini-série em 3 edições, Editora Abril Jovem (fevereiro/1992) – Tim Drake não se sente pronto para assumir o manto de Robin, e Batman o aconselha a ir para a França fazer um treinamento. Depois de se despedir do pai, ainda paralisado no hospital, Tim vai para a Europa. Lá terá aulas com Rahul Lama, um mestre já bastante idoso, mas as aulas físicas, no entanto, são feitas com o neto do Lama, Shen Chi.

Ao mesmo tempo, Lady Shiva está procurando o atual “maior lutador do mundo” e cruzará o caminho com o menino prodígio.

Tim se envolve com uma gangue chamada Dragões Fantasmas quando tenta resgatar uma descendente de orientais chamada Ling. Num depósito os Dragões estão torturando um negro americano, e o menino prodígio consegue resgatá-lo.

Robin v1 # 02 (1991)/Robin # 01, Mini-série em 3 edições, Editora Abril Jovem (fevereiro/1992) – Robin foge com o negro, e Lady Shiva observa ao longe. Sir Edmund Torrance, inglês cego, na verdade o Rei Cobra a quem Shiva está procurando, está decepcionado com o desempenho dos seus Dragões, e aplica uma lição mortal no atual líder. Ling explica para ele que os Dragões foram derrotados por “Um menino. Quase uma criança. (...)”, ainda que Robin seja retratado como um adolescente.

Henry Ducard é contratado pela polícia francesa para interceptar drogas que Torrance estaria contrabandeando.

O negro é Clyde Rawlins que trabalhava para o DEA. Shiva chega ao hotel onde Robin e Clyde estão segundos antes dos Dragões Fantasmas.

Ao matar o segundo líder, Torrance promove Ling, que prefere usar a alcunha de Lince.
Numa casa afastada, enquanto faz umas pesquisas Tim recebe um pouco mais de treinamento, desta vez com Rawlins.

Robin v1 # 03 (1991)/Robin # 02, Mini-série em 3 edições, Editora Abril Jovem (março/1992) – Shiva, Robin e Clyde conseguem a pista de uma arma nazista que Torrance encontrará em algum lugar da França. Robin e Clyde perseguem os Dragões Fantasmas, e o menino percebe que Ling é parte da gangue. Torrance compra na Espanha um complicado relógio d’água e decide leva-lo para Hong Kong.

Lince mete para Torrance dizendo que eliminou Robin e Clyde.

Robin descobre que a arma nazista é a peste negra!

Robin v1 # 04 (1991)/Robin # 02, Mini-série em 3 edições, Editora Abril Jovem (março/1992) – O trio consegue a localização do último carregamento da peste, que leva a um edifício das empresas lícitas de Torrance. Lá, o inglês descobre que Lince falhou e decide puni-la – mas não com a morte, já que não mata uma dama.
Enquanto preparam-se para atacar Robin recebe mais lições de arte marcial, agora com Shiva.
Ducard vê um navio embarcar para a América, e sobre uma tentativa de morte por parte da polícia local.

Robin, usando seu bastão bo (a arma que escolheu para aprender com Shiva, e anteriormente com o Lama havia escolhido a funda) consegue derrotar Lady Shiva.

Robin v1 # 05 (1991)/Robin # 02, Mini-série em 3 edições, Editora Abril Jovem (março/1992) – Torrance cria um complicado esquema com o relógio d’água e a peste negra embalada em um cristal de sal. Após tantos dias em contato com a água o cristal iria derreter e liberar a pesta negra em Hong Kong, tempo suficiente para Torrance sair da cidade e se estabelecer na América. Então esta parte narra a invasão de Robin, Shiva e Clyde ao prédio de Torrance, a morte de Clyde, e o confronto com de Robin com o Rei Cobra nas sombras.

Torrance aparentemente cai para a morte.

Robin é avisado por Ducard da carga que ruma para a América, e em Gotham, uma semana depois, intercepta a mercadoria reencontrando Lince, punida por Torrance e com um olho somente.
A – Chuck Dixon D – Tom Lyle F – Bob Smith

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…