Pular para o conteúdo principal

A Origem Secreta da Sociedade da Justiça

Toda equipe clássica da DC Comics não tem a origem narrada na sua primeira aparição. Estas técnicas de narrativas são mais “modernas” e característica da Marvel Comics. A história já começava com a equipe reunida ou com o herói atuando. Daí o termo “origem secreta”, simplesmente por que não havia sido narrada até aquele momento.

Em DC Special #29 de 1.977 o escritor Paul Levitz escreveu e Joe Staton desenhou uma história bastante funcional: Hitler tem planos de invadir a Europa durante o inverno de 1.940 e o agente Intrépido pede ajuda à Franklin Delano Roosevelt, que, impossibilitado de colaborar diretamente – os EUA não haviam entrado na Guerra ainda – envia homens misteriosos para impedir o plano.


A primeira leva envia Batman, Lanterna Verde e Flash que invadem um castelo e encontram um Homem Bélico sendo derrotados. De posse da Lança do Destino Hitler ameaça revelar a identidade de Batman, mas a chegada de Sr Destino e Homem-Hora obrigam ao ditador invocar as Valquírias para protegerem um avião que irá atacar Washington!

Enquanto os heróis enfrentam os seres místicos (com atenção especial para os com poderes como Lanterna Verde, Flash e Sr Destino), o mago invoca outros heróis para colaborarem impedindo o ataque naval. São eles Sandman, Átomo e Falcão da Noite, que são auxiliados por um verdadeiro deus ex machina chamado Espectro.

Os 9 se unem para lutarem pelos céus de modo a impedir que o avião bombardeie Washington, DC e lá eles recebem o acréscimo do Superman. FDR salvo da morte certa pelo Átomo sugere a criação de uma equipe de heróis que será conhecida como Sociedade da Justiça da América.

A história já foi publicada no Brasil no penúltimo número de Heróis em Ação da Editora Abril. Foi aqui que vi pela primeira vez o personagem Sandman – que na história não usa a pistola de areia, mas sim, joga areia com as mãos numa compreensão mais mística do ataque padrão do personagem.

Os detalhes:

a) A Lança do Destino é a arma usada na crucificação de Jesus Cristo estabelecida em Weird War Tales #50. Voltarei ao assunto em breve, mas é sempre bom lembrar que ela deixava super-seres sob o domínio da pessoa que a possuía, sendo então, esta, a melhor desculpa para que os super-seres não terminassem a guerra de imediato.

b) Apesar da colaboração inicial de alguns heróis como Superman, Batman, Flash e Lanterna Verde, a Sociedade da Justiça tinha como característica agrupar personagens que não tinham revistas com seu próprio nome. Assim, à medida em que ganharam séries, eles se afastavam da equipe sendo substituídos por heróis que apareciam em revistas genéricas (Adventure Comics, All-American Comics, etecetera).

c) Apesar de não ser o primeiro líder, Falcão da Noite (Hawkman, no original) foi o personagem que mais tempo esteve na liderança da equipe clássica.

d) Em 1.982/83, Roy Thomas criou o conceito do “All-Star Squadron” uma equipe que atuou internamente nos EUA combatendo espiões e criminosos de guerra, além de eventualmente vilões, cientistas loucos e toda a patota comum. A equipe surgiu na manhã do ataque à Pearl Habor pelos japoneses. Voltarei ao assunto.

e) Após Pearl Habor a SJA chamou-se temporariamente “Batalhão da Justiça” e chegou a se desmantelar quando seus membros humanos se alistaram nas Forças Armadas.

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…