Pular para o conteúdo principal

Os 10 mais da década - Parte 3

Continuando a minha listagem das 10 mais da década

3) Demolidor de Brian Michael Bendis, Alex Maleev & vários – Demolidor é Matthew Murdock!

Com base nesta idéia simples, Bendis mantêm quatro anos de produção de uma série em quadrinhos cheia de experimentações narrativas, como por exemplo, o primeiro arco que não tem narrativa linear.

A grande sacada é o conflito de Murdock, que não admite que é o herói e processa o jornal que divulgou a notícia, mas tem sua vida exposta e esmiuçada – diferente então dos acontecimentos da primeira vez que exploraram esta linha narrativa.

Bendis cria uma narrativa que sempre põe o Demolidor em xeque e utiliza bem senões que ele havia introduzido na série “Alias” como closes, balões de textos longos, repetições de imagens. Algumas edições são paradas, outras têm uma tensão digna de tribunal – sendo que várias passam em um – e para surpresa de todos o escritor usa e abusa inteligentemente de coadjuvantes. Elektra, Mercenário, Foggy Nelson, Ben Urich somados ao Homem Aranha, Tigre Branco e outros tornam o caldo interessante e adequado.

Nos EUA acabou de receber a primeira (de duas) edições “Omnibus” com todo o material. Foi publicada integralmente no Brasil nas séries “Demolidor & Hulk” e “Demolidor, o homem sem medo” ambas da Panini Comics, e merecem uma série de encadernados que valorizem a obra.

Demolidor é o meu personagem preferido da década. Desde que foi relançado pelo selo Marvel Knights em 1.998 as histórias funcionam bem. Kevin Smith, Bendis e atualmente Ed Brubaker só acertam, ainda que existam realmente arcos menores e alguns escritores substitutos lamentáveis. Porém ao fazer a contabilidade geral, a série continua no lucro, e alguns especiais são muito bons – como o publicado em Demolidor Anual #01 da Panini Comics, uma história excepcional.

Pela primeira vez na indústria houve uma transição inteligente entre autores. Bendis passou a bola para Brubaker e perguntou como gostaria que o personagem estivesse, o novo autor respondeu, assumiu a série e tem uma narrativa tão genial e em alguns momentos superior ao período de Bendis.

Vale a pena ler e reler.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!