Pular para o conteúdo principal

Repetições & Flechas

Quanto mais eu leio quadrinhos mais eu vejo as linhas narrativas que se repetem.
A DC Comics tem mais repetições que a Marvel, mas esta as tem em maior intensidade.
Por exemplo, com a reformulação de 1987 e as subseqüentes de 94 (Zero Hora), 2000 (em especial em títulos do Superman) e 2005 (Crise Infinita), a DC, por opção, começou a narrar algumas histórias novamente, normalmente ligadas às origens dos personagens, heróis, vilões e grupos da editora. Não demorou muito para os autores, perdidos em um excesso de tramas, anularem eventos ou tramas serem anuladas.
Para ser limitado a um exemplo imaginemos a história da Liga da Justiça da América neste meio tempo. A equipe teve uma boa Secret Origins (ainda em 1.987), que colocava a Canário Negro na equipe desde a fundação, já que a Mulher-Maravilha só havia surgido no Mundo do Patriarcado durante os eventos de Lendas. Depois teve LJA: Ano Um (já em 97/98), uma excelente ampliação da trama, mas que não deixava de ser repetição. Por sinal, LJA: Ano Um já merece uma edição especial da Panini. Além disso, com o sucesso da série JLA escrita do Grant Morrison e com Mark Waid com fill-in muita coisa passou por um processo de readaptação.
No final se estabeleceu novamente que a Mulher-Maravilha fez parte da base da equipe desde a fundação, deixando claro que alguns eventos são feitos de maneira imediatista, para responder questões do momento, mas que raramente levam em conta um macro-plano editorial.
Depois de Crise os leitores estavam ávidos para saberem como a editora iria explicar algumas situações especiais; em especial as dos sobreviventes da Terra 2 como Sociedade da Justiça e Corporação Infinito.
Algumas histórias são narradas várias vezes, com relativas liberdades. O fato pós Crise mais recontado, certamente é a origem do Duas Caras, que já mereceu a história Faces (Batman Annual # 13 – 1989/Batman # 03, 3ª série/formato americano, Editora Abril, abril/1990), a história Crime & Castigo (Batman vs. Two-Faces – Crime and Pushiment, 1995/Mythos Editora, Edição especial, 2002) e O Longo Dias das Bruxas e Vitória Sombria (Abril e Panini, respectivamente). Além disso as razões de Harvey apareceram em um Secret Origins Special para os vilões de Batman, em um livro da série de pocket books para Batman Adventures e em tramas de séries derivadas de Batman Adventures/Gotham Adventures.
Não satisfeitos, a correção facial de Duas Caras também já havia ocorrido duas vezes, uma na década de 1.970 e outra em Cavaleiro das Trevas, até que Loeb decidiu recuperar a face de Dent em Silêncio e Paul Dini decidiu destruí-la em Detective Comics (Um Ano Depois).
Muitas tramas da DC são meras repetições de histórias até a exaustão. Bane surge, aleija Batman, é derrotado, descobre que é vítima de uma droga, abandona a droga e de certo modo encontra a redenção, até que novamente é transformado em vilão. Tudo para restaurar um status qüo.
Na Marvel os eventos Guerra Civil, Hulk contra o Mundo e Invasão Secreta, são histórias ou linhas narrativas já iniciadas há anos e aparentemente resolvidas. Vamos conferir?
Guerra Civil fala sobre o registro dos heróis e uma subseqüente divisão entre eles. Em 1.989 já se falava isto na Marvel e Reed Richards chegou a ir ao Senado depor sobre o assunto. Para facilitar a memória dos esquecidos, vejam as histórias de Walt Simonson para o Quarteto, porém a fase inicial com Ron Lin. Claro que um desdobramento mais significativo é a Lei de Registro dos Mutantes, que sempre esteve ameaçando os mutantes com maior ou menor atenção.
O relacionamento entre Capitão e Homem de Ferro, já havia sido bastante debatido em Guerras das Armaduras I (e depois), além do fato que o Tony Stark foi ficando mais bélico, especialmente quando terminou com a equipe dos Vingadores da Costa Oeste para ter a sua própria, o ForceWorks e criou a versão “WarMachine” de sua armadura.
Guerra Civil apenas expandiu tudo para o restante do Universo Marvel.
Já Hulk contra o Mundo certamente é mais lembrado já que pouco tempo depois de Guerras Secretas o gigante esmeralda perdeu o controle e foi enviado para uma Encruzilhada pelo Dr. Estranho, fato que sempre é citado nas séries.
As coisas são diferentes agora?
Não sei dizer ao certo, mas parece-me certamente um outro caso de ampliação com outro foco. Só que agora o Hulk quer vingança, algo que não exigiu na primeira vez.
A Invasão Secreta nada mais é do quê um remix de dezenas de tramas envolvendo os skrulls. Novamente temos a expansão para todo o Universo Marvel.
Isto não é bom ou ruim simplesmente.
Os talentos de hoje sabem conduzir uma trama de maneira melhor que os talentos de ontem (o quê realmente não é um ponto pacífico, mas...) e podem utilizar-se de soluções inovadoras nos desdobramentos das histórias. Algumas de tão inovadoras criam mais problemas que soluções como o caso do Homem-Aranha em Guerra Civil.
Ao mudar o passado do Aranha a Marvel apenas esta repetindo a DC (e a si própria com seus selos como o Ultimate), mas está inovando ao restringir a mudança a um único personagem.
Com o sucesso poderá fazer uma reformulação branda, que não de longe sertã tão corajosa como a da DC em 1987, mas poderá ser mais adequada ao mercado, retirando do personagem apenas aquilo que é muito conflitante com os leitores.
O problema real será se eventualmente esta linha narrativa se desgastar com rapidez e a Marvel tiver que voltar ... veremos!

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

O único animal, Luís Fernando Veríssimo

O homem é o único animal...
...que ri
...que chora
...que chora de rir
...que passa por outro e finge que não vê
...que fala mais do que papagaio
...que está sempre no cio
...que passa trote
...que passa calote
...que mata a distância
...que manda matar
...que esfola os outros e vende o pêlo
...que alimenta as crias, mas depois cobra com chantagem sentimental
...que faz o que gosta escondido e o que não gosta em público
...que leva meses aprendendo a andar
...que toma aula de canto
...que desafina
...que paga pra voar
...que pensa que é anfíbio e morre afogado
...que pensa que é bípede e tem problema de coluna
...que não tem rabo colorido, mas manda fazer
...que só muda de cor com produtos químicos ou de vergonha
...que tem que comprar antenas
...que bebe, fuma, usa óculos, fica careca, põe o dedo no nariz e gosta de ópera
...que faz boneco inflável de fêmea
...que não suporta o próprio cheiro
...que se veste
...que veste os outros
...que despe os outros
...que só lambe os outros
...que tem cotas de emigração
...qu…