Open top menu
quarta-feira, 29 de julho de 2015

[História]
No fim do século XIX um grande programa realocou crianças órfãs ou em condições de miséria de Nova Iorque para o oeste dos Estados Unidos da América.
Esta história se passa em 1.920 e narra a viagem de Jim, tentando proteger seus irmãos e permanecer unidos ao mesmo tempo em que aprende a regras da vida que lhe foram impostas. Setenta anos depois, em 1.990 o velho Jim procura juntar os cacos de sua vida e reencontrar-se com seu passado.

[Comentários]
De longe o melhor lançamento inédito que li neste ano, O trem dos órfãos consegue atingir seu objetivo sem ser didático em demasiado. Narra a história do Orphan Train Riders, explica o contexto, os objetivos, e os vícios do programa sem longas passagens cheias de diálogos tediosos. O leitor sente a tristeza de Jim e como o personagem se encontra perdido nos eventos que o cercam. Seu pai o abandona e ele, analfabeto, não sabe reconhecer o fato. Aos poucos vê seu irmão mais novo e sua irmã de colo também serem adotados e, no processo, perde a própria identidade.

A obra de Phillipe Charlot (texto) e Xavier Fourquemin (arte), com cores de Scarlet Smulkowski e tradução de Danielle Reichelt é belíssima e o único senão é o formato adotado pela Editora 8Inverso, menor que o tradicional formato “álbum” usando um formato parecido com o adotado pelo HQM na série Os mortos-vivos. O álbum merecia não somente o formato padrão para os álbuns franco-belgas como um acabamento em capa dura.

Belíssimo trabalho com texto, arte e cores que conseguem unir-se para apresentar um resultado final adequado e pungente.

No site da editora original (aqui) é possível notar que há um segundo ciclo da série e mais quatro álbuns vinculados a este segundo ciclo.

O trem dos órfãos – 1 – Jim/ 2 – Harvey de Phillipe Charlot & Xavier Fourquemim, tradução de Danielle Reichelt, Editora 8Inverso, 1ª Edição, Porto Alegre, julho de 2015. ISBN 978-85-62696-30-5.
Different Themes
Written by Lovely

Aenean quis feugiat elit. Quisque ultricies sollicitudin ante ut venenatis. Nulla dapibus placerat faucibus. Aenean quis leo non neque ultrices scelerisque. Nullam nec vulputate velit. Etiam fermentum turpis at magna tristique interdum.

0 comentários