Open top menu
sábado, 8 de novembro de 2014


Nada muito interessante aconteceu nos seis meses e quatro edições seguintes – a série teve um gap entre as edições #07 e 08. 

Qual o motivo do gap

A versão em quadrinho do filme Star Trek III: A procura de Spock que estava para ser lançado e já trazia modificações importantes para a Enterprise e sua equipe. Assim Mike W Barr ficou no básico criando tramas que repetiam padrões da série de TV original e focando em um personagem “estranho” e “quase” seu – a Saavik.

Então na edição #05 trouxe um conto de violação da primeira diretriz. Aqui um conhecido de Kirk cai em um planeta e se passa como deus em um mundo de seres semelhantes à grandes ratos. Nada de novo, portanto.

A edição seguinte (#06) traz uma aventura onde um embaixador é ameaçado por um transmorfo, que é sua filha! Ambas as tramas caem bem mesmo na série de TV dos anos 1.960, pois não oferecem risco algum, pois tratavam de diferenças políticas ou religiosas.

Este ciclo termina com as edições #07 (ago/1984) e #08 (nov/1984) – no gap foi lançada a adaptação em quadrinhos do terceiro filme em uma edição especial – que traz A origem de Saavik, uma menina meia romulana, meia vulcana que, encontrada abandonada pelo Sr. Spock é criada pela família do oficial de ciência da USS Enterprise


Em Vulcano ela se liga a Xon e, adulta e servindo na Enterprise, passa a sofrer os efeitos do Pon Far, exatamente quando o “noivo” está infiltrado em uma missão no Império Romulano, portanto inacessível para resolver o problema do desejo da moça.

A arte da edição #07 é de Eduardo Barreto, mas o restante tem Tom Sutton no lápis. Barreto não era exatamente estranho à ficção científica, visto que foi o segundo artista da série Esquadrão Atari.

Sabendo do destino de David Marcus, o filho de Kirk, Mike W Barr o introduz na série em quadrinhos para uma (última) viagem. 

Ainda que não seja a preocupação de W Barr a narrativa consegue “contar” a história de Saavik sem revelar nada. Na história ela não tem lembranças de sua família, então pode ser filha de qualquer casal que estivesse na colônia romulana onde foi encontrada. 

Há, no mínimo, um momento duvidoso: ao tentar criar um clifhanger para o próximo número, Barr põe a gigantesca Enterprise armada e 100% ativa sob a mira da pequena nave da febril Saavik que ameaça destruir a nave da Federação!

Sabe de nada, inocente!

Devo confessar que o arco seguinte “Novas Fronteiras” (Star Trek 1984 series, DC Comics #09-16) em oito partes é muito interessante. Fique conosco foi retornaremos ao assunto.
Different Themes
Written by Lovely

Aenean quis feugiat elit. Quisque ultricies sollicitudin ante ut venenatis. Nulla dapibus placerat faucibus. Aenean quis leo non neque ultrices scelerisque. Nullam nec vulputate velit. Etiam fermentum turpis at magna tristique interdum.

0 comentários